Bolsonaro classifica Lei Rouanet de ‘desgraça’ e reduz captação a R$ 1 mi

O presidente da República disse que o novo teto permanece alto, mas que agora mais artistas poderão ser beneficiados por meio do mecanismo da lei

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (18), em transmissão ao vivo no Facebook, que o limite de captação de recursos pela Lei Rouanet será reduzido de R$ 60 milhões para R$ 1 milhão por projeto. Bolsonaro classificou a legislação, uma das principais formas de incentivo à cultura nacional, como uma “desgraça” usada para cooptar defensores de governos passados.

“Essa desgraça dessa Lei Rouanet começou muito bem intencionada, depois virou aquela festa que todo mundo sabe, cooptando a classe artística, pessoas famosas para apoiar o governo. Quantas vezes vocês viram figurões, não vou falar o nome, não, figurões defendendo ‘Lula Livre’, ‘Viva Che Guevara’, o ‘Socialismo é o que interessa’, em troca da Lei Rouanet. Artistas recebiam até R$ 60 milhões”.

O presidente disse que o novo teto permanece alto, mas que agora mais artistas poderão ser beneficiados por meio do mecanismo da lei. “Com R$ 1 milhão dá para fazer muita coisa, em especial alavancar esses artistas da terra, raiz, para quem sabe terem uma carreira promissora no futuro”, disse Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro classificou a Lei Rouanet de ‘desgraça’ (Foto: EBC)