Bloco da Cobra Grande propõe Carnaval multicultural em Manaus

Marchinhas, axé e repertório autoral vão aquecer o sábado de Carnaval na Assinpa

Manaus – Mito que circula há pelo menos 4 mil anos entre povos indígenas do Amazonas, a Cobra Grande inspirou a novidade do Carnaval 2020 em Manaus. A estreia do Bloco da Cobra Grande será dia 22 de fevereiro, sábado de Carnaval, na Assinpa (Av. da Lua, s/n – Aleixo), a partir das 16h. Os ingressos estão à venda por R$ 15 (1º lote) no site Sympla, no quiosque Os Barés (Manauara Shopping) e lojas Via Uno (Shopping Amazonas, Manauara, G. Circular e Samaúma).

Banda Casa de Caba é uma das atrações do bloco (Foto: Divulgação)

Com a proposta de integrar a cena de música independente ao Carnaval, o bloco terá apresentações de Rosivaldo e os Metais de Olinda, Casa de Caba, agenoragostinhoeleo, Antônio Bahia e as DJs Luana Aleixo e Mariah Brandt.

Agenor Vasconcelos, músico e produtor, explica que o Bloco da Cobra Grande é inspirado no ‘Eu acho é pouco’ de Olinda, com adaptação a uma das lendas amazônicas mais populares. Vasconcelos conta que um boneco da Cobra Grande vai passear pelo público e agitar a festa.

“Conheci o ‘Eu acho é pouco’ há alguns anos. Ele foi criado na década de 70, com críticas à ditadura e tem como marca um dragão gigante. Segundo o mito da Cobra Grande, os primeiros humanos viajaram dentro do animal e foram “desovados” em cantos estratégicos. Conforme saíam da cobra, fundavam comunidades com muita festa e dança. Juntamos a ideia olindense ao mito amazônico e a Cobra Grande vai passear pelo público. É o começo de uma nova história que já conta com muitos projetos de sucesso. Vai ser uma linda festa!”.

Atuando há 13 anos no ramo de produção cultural e de eventos, Vasconcelos pontua que toda renda do bloco será destinada aos músicos e a financiamento de projetos culturais futuros, marcando o evento como uma iniciativa de fomento cultural que vai além do Carnaval.

“O Carnaval é também lugar de fortalecer a autonomia dos artistas, e isso é uma característica essencial do nosso bloco: feito por músicos e produtores independentes. A Assinpa já é a casa do nosso Carnaval e receberá também o ‘Bloco do Eu Sozinho’ no dia seguinte ao nosso bloco, assim fomos juntando forças. Além de garantir a folia ativando elementos da cultura amazônica, eventos como esse são fundamentais para gerar emprego e renda, contribuindo para a economia da cidade”.

O bloco é comandado pelo trio agenoragostinhoeleo, projeto formado em outubro do ano passado pelos músicos Agenor Vasconcelos, Agostinho Guerreiro e Leonardo Moraes (Foto: Divulgação)

Atrações

O Bloco é comandado pelo trio agenoragostinhoeleo, projeto formado em outubro do ano passado pelos músicos Agenor Vasconcelos, Agostinho Guerreiro e Leonardo Moraes. Com três meses de formação o trio já se apresentou em espaços como Tacacá na Bossa, Bar Caldeira, Ao Mirante Music Bar e Centro Cultural Curupira Mãe do Mato. No repertório, músicas do EP ‘Dancehall do Seu Manoel’, disponível nas principais plataformas de streaming.

Há 8 anos trazendo marchinhas e frevos de Pernambuco ao Carnaval de Manaus, a banda Rosivaldo e os Metais de Olinda também é atração confirmada.“Surgimos de uma emergência no carnaval do Educandos. Uma banda não teve condições de se apresentar, eu montei um grupo de alunos e professores de bandas e fanfarras e salvamos o evento. Depois fomos traídos e não nos chamaram mais, mas seguimos em frente. Começamos com cinco contratos e hoje somos convidados por aproximadamente 45 festas de Carnaval” explica Rosivaldo Menestrel, idealizador da banda.

Parceria fundamental para o bloco, a banda Casa de Caba é marcada pela experimentação e por uma sonoridade peculiar com influências de maracatu, afoxé e baião, passando também pelo forró xoteado e rock and roll. Formada em 2012, a banda traz nas letras das músicas análises sociais e de questões humanas. Em 2016, a Casa de Caba lançou o primeiro disco com músicas próprias já conhecidas pelo público como ‘Ogum’, ‘Cílio’ e ‘A Tábua’. O trabalho está disponível nas principais plataformas de streaming.

Axé, samba e clássicos da MPB compõem o repertório de Antônio Bahia. Com performance singular, o artista paraense é alegria e boa energia garantida em qualquer evento, colecionando apresentações em bares de Manaus, Salvador e São Paulo. Além de cantor, Bahia já trabalhou como assistente de produção do programa da Xuxa na TV Record e como figurante na Rede Globo em novelas como “Totalmente Demais” e “Rock Story”. Neste ano, Bahia começa a produção do primeiro disco da carreira.

Pick-ups empoderadas

Há 10 anos, Luana Aleixo é DJ e produtora de eventos em Manaus. É idealizadora do Bloco da Tereza que, neste ano, chega à quinta edição. Além dos djsets diversos e dançantes, Luana também é referência na militância voltada à comunidade LGBT e, neste ano, começa o processo de produção de músicas próprias.

Em uma parceria com o Bloco da Tereza de 2018 surgiu a DJ Mariah. A estudante de jornalismo paraense apresenta sets que passam pelo carimbó, brega funk, pop e rap brasileiro. A proposta é incluir os ritmos periférico dentro da experiência nas pistas.

Anúncio