Sábado de carnaval tem atrações da Banda da Bica e da Difusora, no Centro

Famosas pela tradição, diversão e por reunir milhares de foliões, as bandas da Bica e da Difusora ganharão as ruas do Centro da capital. No fim de semana, serão 13 bandas e blocos de rua

Manaus – A programação de Carnaval, deste sábado (23), inclui a Banda Independente Confraria do Armando (Bica) e Banda da Difusora, em Manaus. Famosas pela tradição, diversão e por reunir milhares de foliões, as bandas ganharão as ruas do Centro da capital. As bandas contam com o apoio da Prefeitura de Manaus e integram o calendário do Carnaval 2019. Neste fim de semana, serão mais 13 bandas e blocos de rua.

Iniciando a folia momesca, a partir das 15h, na Rua 10 de Julho, a Banda da Bica terá como atrações a Bateria Furiosa da Reino Unido, Cauxi Eletrizado, Grupo de Samba Couro Velho, The Stone Ramos e Marcia Novo, e, ainda, Rosivaldo e os metais de Olinda.

Bica cumpre a tradição e sai sob polêmicas, neste sábado (Foto: Eraldo Lopes/GDC)

Ainda na tarde deste sábado, às 16h, a poucos metros da Bica, será a vez da Banda da Difusora levar os embalos do carnaval para a Avenida Eduardo Ribeiro com os grupos Frutos do Pagode, Nelson Vity – ‘O Show Man’, Bateria Furiosa da Reino Unido, Jr. Tok A+ e Banda Impakto. Nos intervalos, o DJ Criz assumirá o comando das picapes. Os eventos são todos abertos ao público e terão esquema de segurança e alteração do trânsito.

Polêmicas

Tradicional banda do reduto boêmio e intelectual de Manaus, a Banda da Bica foi marcada por polêmicas em função das marchinhas oficiais que geralmente atacam políticos locais e nacionais.

Neste ano, a Bica se envolveu em episódio com órgãos do governo do Estado de fiscalização e controle que vistoriavam blocos pré-carnavalescos no último dia 14, coibindo, na ocasião, o esquenta da banda do Bar do Armando.

“Por ocorrer dentro do bar, eu não peço liberação da rua, porque não há interdição. O que acontece é que os ambulantes invadem o espaço e acabam atrapalhando o fluxo da via, e em nenhum momento eu vi essas pessoas sendo abordadas”, relatou, dias depois, a organizadora, Ana Claudia Soeiro.