Ceia natalina à base de plantas? Culinária vegana aposta em pratos saborosos similares aos tradicionais

Ceias sem ingredientes de origem animal são opções para veganos e geram oportunidade para empreendedores

Manaus – As festas de fim de ano costumam ser um dos momentos mais esperados por muitas pessoas que encontram no natal e no ano novo uma oportunidade de reunir a família e os amigos para celebrar. E nas melhores celebrações, não pode faltar boa comida.

Foto: Leonardo Mota/Divulgação

Nas ceias tradicionais se destacam pratos como peru assado ou preparados com outros tipos de carnes, e, apesar desses serem os hábitos de grande parte da população brasileira, existem pessoas que optam por ceias nas quais não são utilizados nenhum tipo de ingredientes de origem animal, as comidas chamadas de ‘plant based‘ (à base de plantas, em tradução livre), ou simplesmente vegetarianas ou veganas. Segundo uma pesquisa do IBOPE Inteligência, divulgada em 2018, 14% dos brasileiros se declararam vegetarianos.

A analista de marketing Heloísa Lucena, 23, é vegana há quase dois anos e conta que durante a pandemia passou por um período de autoconhecimento que a motivou a seguir com o novo estilo de vida.

“Além dos fatores ambientais, passei a repensar em tudo que acreditava e percebi que sempre tive comigo o valor de igualdade, porém durante esse mergulho de autoconhecimento, vi que não estava colocando em prática plenamente, já que consumia produtos de origem animal e passei a me questionar: ‘o que me torna melhor que os animais?’. Desde então, entrei diretamente no estilo de vida vegano”, relata ela, acrescentando que se quer passou por uma fase vegetariana.

Diferente do vegetarianismo, o veganismo se estende para além da alimentação e se aplica para todas as áreas, como vestuário, acessórios e cosméticos, promovendo campanhas contra iniciativas que de alguma forma usem animais como forma de entretenimento, como os zoológicos.

Heloísa afirma que não deixa de comer bem durante o período natalino. Ela conta que no ano anterior (primeiro dela como vegana), ela decidiu se aventurar e cozinhou a própria ceia, este ano, no entanto, devido ao trabalho e, priorizando tempo com a família, pretende encomendar refeições prontas.

“Ano passado preparei meus pratos e minha ceia contou com fettuccine ao molho de castanhas de caju e cogumelos; bife de soja empanado e maionese; e bolinho de carne vegetal”, diz a analista de marketing.

View this post on Instagram

A post shared by SVB Manaus (@svbmanaus)

Segundo a nutricionista Cristine Hassan, é totalmente possível ter uma ceia sem carnes e seus derivados de forma saborosa e nutritiva.

“A ceia vegana pode ser igualmente elaborada de forma nutritiva como no dia a dia do vegano, mantendo o sabor, sem esquecer que esse momento é de alegria e confraternização”, informa.

“O único nutriente que hoje recomenda-se uma avaliação mais criteriosa é a vitamina B12, por não conseguirmos absorve-la integralmente quando proveniente de fonte vegetal”, alerta a nutricionista.

Encomendas de ceias veganas

O período de fim de ano também gera oportunidade de renda extra para quem trabalha com cozinha sem crueldade animal. De acordo com o chef de cozinha vegetariana Anderson Oliveira, que faz encomendas e comidas a pronta entrega, as épocas festivas costumam turbinar em cerca 500% o número vendas, comparado aos meses sem grandes celebrações.

“As datas comemorativas são de muita expectativa pra gente. Sempre fazemos alguma coisa especial e cardápio de natal e ano novo. A gente passa algumas semanas planejando e fazendo pesquisa de preço, embalagens e fornecedores. Eu trabalho com a minha mãe, então nós sempre sentamos e pesquisamos pratos novos e tendências”, explica ele.

Anderson diz que os pratos de maior sucesso são as adaptações de pratos tradicionais, como a ‘batatalhoada’, versão vegana do prato feito com bacalhau, preparada com batatas e legumes.

“A gente coloca alguns ingredientes para trazer um sabor que lembre mais o mar; também usamos ingredientes da cozinha asiática para melhorar o sabor”, revela o chef, completando que sempre prioriza ingredientes de origem orgânica, o que considera o grande diferencial de seu empreendimento.

“Costumamos falar que priorizamos investir em saúde para não ter que gastar com doença, então nossos pratos são pensados para serem os mais saudáveis possíveis. Nem todas as opções são tão saudáveis, mas também são veganas e uma alternativa para os intolerantes à lactose, então a gente deixa essa escolha para o cliente”, esclarece o cozinheiro.

Anúncio