Centro Cultural Óscar Ramos inaugura no aniversário de Manaus

A partir do dia 24 de outubro, o público poderá conferir obras do artista itacoatiarense, divididas em duas casas na Rua Bernardo Ramos, no Centro Histórico

Manaus – No dia em que Manaus comemora seus 350 anos – 24 de outubro -, a cidade ganha um novo espaço para promoção da cultura: o Centro Cultural Óscar Ramos, instalado nas casas mais antigas da capital, de números 69 e 77, na Rua Bernardo Ramos, Centro Histórico. As residências foram restauradas pela Prefeitura de Manaus e irão abrigar o acervo de um dos principais artistas amazonenses, que morreu em junho deste ano.

Casas consideradas as primeiras moradias de Manaus vão passar a abrigar a história artística de Óscar Ramos (Foto: Leonardo Leão/Manauscult/Divulgação)

“Uma singela homenagem diante da grande genialidade de Óscar Ramos, que foi um amigo muito querido. Sem dúvida, um dos maiores nomes da arte contemporânea do Brasil e que continuará sendo referência e colaborando para a formação cultural do nosso povo com esse espaço que será entregue no próximo dia 24. Um belo presente para Manaus e para os manauaras”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

O minimuseu conta com curadoria do artista José Cardoso, vice-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), e direção artística do multiartista Sérgio Cardoso. Construídas em 1819, as casinhas, feitas à base de taipa – barro e madeira – e pedra, foram consideradas as primeiras moradias de Manaus e carregam em sua arquitetura uma parte da história da cidade, do período colonial.

A casa 69 sediará a exposição permanente de Óscar Ramos. Pinturas, escritos, figurinos, produções, desenhos de moda do artista, objetos pessoais como mobílias utilizadas por Óscar e capas de LPs, estarão entre os artigos e objetos expostos no local. Já a casa 77 sediará exposições temporárias de outros artistas, além de quadros de Óscar que nunca foram expostos, entre outros materiais.

blank

O artista plástico Óscar Ramos morreu em junho deste ano (Foto: Marinho Ramos/Semcom/Divulgação)

“Óscar Ramos atuou junto à Prefeitura de Manaus nos seus últimos sete anos de vida, como curador do Paço da Liberdade. Ele ensinou muita gente e uniu toda a classe artística, era quase uma unanimidade. Infelizmente ele se foi, mas ainda se faz aqui presente na sua obra, na sua arte, aqui na casa 69”, declarou José Cardoso.

Óscar Ramos nasceu em Itacoatiara, interior do Estado do Amazonas (distante a 269 quilômetros de Manaus) e é considerado um dos principais nomes das artes visuais no Brasil, tendo, inclusive, realizado trabalhos com grandes nomes da música brasileira, assinando capas de discos de Caetano Veloso, Maria Betânia, Gilberto Gil e Gal Costa, por exemplo, além de ter trabalhos premiados no exterior. O artista possui uma longa trajetória, composta por mais de 60 anos de produção, marcada pelo experimentalismo de apelo universal.

Anúncio