O cinema de Tarantino debatido e dissecado

Realizado pelo canal Plot Twist, evento promove bate-papo sobre os principais trabalhos do aclamado diretor. Mesa-redonda acontece na Livraria Leitura, com entrada gratuita

Manaus – Do policial ‘Cães de Alguel’ (1992) à saga de vingança ‘Kill Bill: Volumes 1 e 2’ (2003 e 2004), Quentin Tarantino já gastou milhares de litros de sangue falso em seus filmes, ao longo dos anos. Conhecido por suas histórias repletas de reviravoltas e diálogos afiados, o diretor norte-americano — duas vezes vencedor do Oscar — será tema de uma roda de conversa, no próximo dia 10, na Livraria Leitura, no Amazonas Shopping. Realizado pelo canal do YouTube Plot Twist, o evento terá acesso gratuito, a partir das 15h, e sorteio de brindes.

Tarantino é conhecido por seus filmes repletos de violência e diálogos afiados. Foto: Divulgação

Para ministrar o bate-papo, foram convidados Danilo Areosa e Ivanildo Pereira, críticos do site Cine Set; Roger Lima, youtuber do canal X-Salada; e Thiago Henrik, cofundador do site Mapingua Nerd. O quarteto mediará discussões sobre como a mente ‘insana’ de Tarantino cria suas obras, as composições de cena, músicas utilizadas, suas referências e algumas curiosidades das produções assinadas por ele.

Dentre os filmes que serão debatidos, no evento, estão: ‘Pulp Fiction – Tempo de Violência’ (1994), ‘Kill Bill: Volumes 1 e 2’, ‘Bastardos Inglórios’ (2009) e ‘Django Livre’ (2012).

Segundo Danilo Areosa, o diretor recebeu o título de ‘icônico’ por ter quebrado rótulos com os seus trabalhos. “Ele desmembrou tabus e renovou o conceito do cinema independente da década de 1990. De certa forma, Tarantino uniu a cultura pop com o cinema, diminuindo a fronteira entre os filmes comerciais e alternativos. E fez isso com muita versatilidade, através de textos que brincam com a linguagem cinematográfica e primam pela criatividade, personagens marcantes, diálogos geniais e enquadramentos inusitados. É uma grande referência para quem ama e gosta de cinema”, disse o crítico do Cine Set.

Para ele, o filme divisor de águas na carreira de Tarantino foi ‘Pulp Fiction – Tempo de Violência’. “Ele (o longa) representa o ponto alto da sua criatividade na carreira. É uma obra que tem uma habilidade fenomenal de unir personagens, texto, atores, cenas e contextos. É difícil fazer segmentos de histórias tão coesas entre si como o cineasta consegue obter, aqui. Ele explora a cultura pop de forma alucinante, sempre brindado o público com uma situação envolvente. É o filme que mostra a sua ‘cartilha tarantinesca’”, completou Danilo.

Anúncio