Humanos se preocupam mais com sofrimento de cachorros do que com angústia de adultos

Estudo publicado na revista científica ‘Society & Animals’ examina a empatia demonstrada a respeito de crianças, adultos e cães – sejam filhotes ou mais crescidos

São Paulo – Você já teve dúvida se as pessoas se preocupam mais com o sofrimento de seus semelhantes da mesma espécie ou com cachorros? Esse também é o questionamento de um estudo científico publicado na revista Society & Animals. Para respondê-lo, os pesquisadores Jack Levin, Arnold Arluke e Leslie Irvine fizeram um experimento com 256 estudantes de graduação. Os alunos receberam recortes de jornal falsos de um relatório policial sobre um ataque a uma pessoa ou a um cachorro.

Estudo aponta que humanos demonstram empatia quando vêem cães de qualquer idade sofrendo (Foto: Kirkandmimi/Pixabay)

“Encontramos mais empatia para as vítimas que são crianças humanas, cachorros e cães totalmente crescidos do que para as vítimas que são humanas adultas”, descreve o resumo da pesquisa.

Para escrever o artigo As pessoas estão mais incomodadas com o sofrimento de cães ou de seres humanos?, os pesquisadores pediram aos participantes para indicarem o grau de empatia por um adulto ou criança humana brutalmente espancada versus um filhote ou cachorro adulto.

O resultado apontou que quando se trata de um cachorro, de qualquer idade, e uma criança os participantes demonstravam angústia, no entanto essa reação emocional era menor quando um humano adulto estava em em momento aflitivo.

Outra informação do estudo é que as participantes mulheres foram muito mais empáticas em relação a todas as vítimas, independentemente, da idade.