Cuidados para evitar ganho de peso na pandemia

O aumento de peso associado a obesidade também são fatores de risco para a Covid

Manaus – Com a paralisação e o isolamento social, o hábito do “fica em casa” criou novas rotinas com pessoas grudadas em telas de TV , celular ou nos jogos eletrônicos, sem atividade física e aumento do peso. Essa situação é um problema de saúde pública, com o ganho médio de 5kg por pessoa, inclusive nas crianças. De acordo com a endocrinologista Caroline Coimbra é necessário a retomada de hábitos saudáveis com a diminuição de casos de Covid e o retorno da normalidade.

Cuidados para evitar ganho de peso na pandemia. (Foto: Divulgação)

O aumento de peso associado a obesidade também são fatores de risco para a Covid. Portanto, os cuidados e controle com a alimentação e qualidade de vida são um ponto relevante para a prevenção do vírus, orienta a médica. Buscar exercitar-se durante esse período e manter uma alimentação saudável são alguns passos que devemos dar para evitar o sedentarismo que adoece o corpo tanto quanto o vírus, alerta Caroline Coimbra.

Nos Estados Unidos, muitos americanos sabem que engordaram durante a pandemia, mas é difícil para os especialistas detalharem a extensão do problema. Logo após o início da pandemia, há mais de um ano, os americanos começaram a brincar sobre a temida “quarentena 15”, preocupados que pudessem ganhar peso enquanto fechados em casas com estoques de comida, grudados em telas de computador e assistindo a Netflix.

Agora, um pequeno estudo usando medidas objetivas – medições de peso de balanças inteligentes conectadas por Bluetooth – sugere que adultos sob pedidos de abrigo no local ganharam mais de 300 gramas a cada 10 dias. Isso se traduz em quase um quilo por mês, disse o Dr. Gregory M. Marcus, autor sênior da carta de pesquisa, publicada na revista Jama Network Open.

O estudo aponta que cerca de 42% dos adultos americanos com mais de 20 anos têm obesidade, conforme definido pelo índice de massa corporal, enquanto outros 32% dos americanos estão simplesmente acima do peso. Muitos estados estão priorizando americanos com obesidade para vacinação, junto com aqueles que têm outras doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão.

Os pesquisadores analisaram as medições de peso feitas entre 1º de fevereiro de 2020 e 1º de junho de 2020, a fim de observar as mudanças de peso antes e depois da emissão de ordens de abrigo no local.
A pesquisa descobriu que as pessoas estavam tendo uma dieta mais saudável durante os primeiros dias da paralisação, mas eram mais sedentárias, revelou a pesquisa americana.

O número de passos dados pelas pessoas diminuiu 27% ao mês depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia.
A preocupação com os exercícios também se estende às crianças, que são conhecidas por ganhar peso prejudicial à saúde durante os meses de recesso de verão, quando não estão na escola.

O risco é ainda maior para crianças hispânicas e negras do que para crianças brancas, disse Andrew G. Rundle, professor associado de epidemiologia da Escola Mailman de Saúde Pública da Universidade de Columbia, autor de um artigo recente que expressou preocupação de que o fechamento de escolas exacerbaria as disparidades raciais existentes na saúde, dados que são acompanhados por Caroline Coimbra em seu consultório.

Para a endocrinologista, existem muitos fatores que interferem no ganho de peso durante a pandemia. Primeiro que não tínhamos ideia que ia durar tanto . O que começou com uma previsão de meses , já dura mais de um ano e a comida age como uma espécie de ‘calmante’..
Outro fator , seria o luto , as perdas, os momentos de tristeza que buscam na comida uma recompensa, como “eu mereço “ . Outro fator seria a falta de atividade física , o isolamento social e o fechamento de academias e parques .

A mudança da qualidade de sono também afeta peso, pois muitos pacientes desenvolveram insônia e, com isso, o metabolismo fica pior, e o corpo pede uma recompensa de ingestão de alimentos para suprir o cansaço de uma noite mal dormida . Outro motivo é a crise financeira, pois muitos perderam seus empregos , passaram por dificuldades, isso gera busca em recompensas como comida e álcool.

“Creio que a melhor maneira de controlar o peso seria refazer a rotina de exercícios diários, organizar a dieta e só comprar os alimentos da dieta saudável, evitar estoques de alimentos industrializados e álcool”, orienta a especialista.

Os hábitos elencados como saudáveis também devem ser seguidos, como ter rotina de sono regular, cuidar da saúde emocional e espiritual, ter momentos de lazer . “Enfim, com a evolução da vacinação, temos uma esperança , de nossas rotinas serem retomadas , vamos começar a fazer essa organização de rotina pessoal , esse seria o primeiro passo para uma vida mais saudável”, aconselha a médica endocrinologista Caroline Coimbra.

Anúncio