De olho no Oscar 2019: confira favoritos da 91ª edição da maior premiação do cinema

GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO montou um guia completo para a maior premiação do cinema que chega a 91ª edição neste ano de 2019

Manaus –  Neste domingo (24), a partir das 21h (horário de Manaus), a atenção dos cinéfilos estará voltada única e exclusivamente para um evento: o Oscar 2019. Em sua 91ª edição, a premiação poderá consagrar astros como Lady Gaga, Glenn Close, Rami Malek e Amy Adams, entre outros.

Com isso em mente, o GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO listou algumas das principais curiosidades e polêmicas acerca da cerimônia desta noite. Confira:

(Arte: GDC)

1. Apresentador

Pela primeira vez em 20 anos, o Oscar não terá um apresentador oficial. A informação foi confirmada, no início do mês, por Karey Burke, presidente da ABC Entertainment, que transmite a premiação.

No lugar de um apresentador, a cerimônia contará com celebridades para apresentar os prêmios, além de uma abertura especial. Entre os astros que ajudarão a comandar a premiação, estão: Awkwafina, Daniel Craig, Chris Evans, Tina Fey, Whoopi Goldberg, Brie Larson, Jennifer Lopez, Amy Poehler e Maya Rudolph, para citar alguns.

Em dezembro de 2018, o comediante Kevin Hart desistiu de apresentar o Oscar, após o ressurgimento de antigos tuítes homofóbicos. Segundo Burke, a decisão de abrir mão de um anfitrião, este ano, foi tomada após o que descreveu como a “bagunça” envolvendo a renúncia de Hart.

2. Diretores

Por um lado mais positivo, o Oscar 2019 mostra que a diversidade vem chegando, aos poucos, à premiação. A mudança fica clara se pegarmos, por exemplo, entre os indicados para Melhor Diretor. Dos cinco, três deles nasceram em outros países: Alfonso Cuarón (México), Pawel Pawlikowski (Polônia) e Yorgos Lanthimos (Grécia). Dos dois norte-americanos, Spike Lee e Adam McKay, um é negro. Faltou, ao menos, uma mulher.

Porém, não há dúvida que, depois de ser acusado, seguidamente, de anglo-saxão demais, ‘so white’ ou antifeminista, o Oscar está, sim, abrindo-se.

Vale destacar, ainda, que Alfonso Cuarón – o grande favorito na categoria – rodou um filme muito pessoal, ‘Roma’, produção da Netflix. A distribuição em streaming causou certa polêmica, pondo, em confronto, os fundamentalistas das salas de cinema e os adeptos das plataformas por internet.

Já os dois norte-americanos em disputa na categoria, Spike Lee e Adam McKay, apresentam filmes políticos de alta voltagem. Lee, com ‘Infiltrado na Klan’, volta as suas preocupações com a questão racial em seu país. Enquanto McKay, com ‘Vice’, fala sobre os desmandos do poder. Ambos mesclam o horror e o cômico.

(Foto: Divulgação)

3. Shows musicais

Há algumas semanas, foi anunciado que somente duas das faixas indicadas à Melhor Canção seriam performadas, ao vivo, durante o Oscar 2019. A decisão causou bastante polêmica – inclusive, entre alguns dos indicados. Rapidamente, para evitar um novo alvoroço, a Academia se pronunciou e confirmou que todos os concorrentes subirão ao palco da premiação, hoje.

Na categoria, ‘Shallow’, do longa ‘Nasce Uma Estrela’ e interpretada por Lady Gaga e Bradley Cooper, é a grande favorita.

4. Youtubers

Como todos os anos, o tapete vermelho e a cerimônia com a entrega dos prêmios serão transmitidos, ao vivo, na televisão. No entanto, neste ano, além da parceria entre o YouTube e a TNT, criadores de conteúdo também farão uma cobertura complementar à exibição oficial, trazendo curiosidades, interagindo com os seguidores e comentando a premiação. Entre as páginas que auxiliarão na transmissão do Oscar 2019, estão: Série Maníacos, Diva Depressão, Pipocando e Omelete.

5. Intervalos

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas revelou, no início do mês, que quebrará a tradição de apresentar todas as 24 categorias do Oscar durante a transmissão televisiva, ao vivo, da cerimônia. Na noite de hoje, quatro delas serão apresentadas durante o intervalo comercial. As escolhidas para o corte foram: fotografia, edição, curta-metragem e maquiagem e penteado.

No entanto, o presidente da Academia, John Bailey, anunciou que a entrega destes quatro prêmios poderá ser assistida, ao vivo, no site do Oscar. Ainda durante a transmissão pela TV, serão exibidos os discursos gravados dos vencedores.

(Foto: Divulgação)

6. Protesto

Entre os curtas-metragens indicados ao Oscar 2019, está ‘Detainment’, que conta a história de dois garotos de 10 anos que são detidos pela polícia sob suspeita de sequestrar e assassinar outra criança. O filme é baseado no caso real de James Bulger, cuja mãe diz se sentir “enojada e triste” pela indicação ao prêmio.

No Twitter, Denise Fergus fez uma declaração sobre o caso. “Não consigo expressar quão enojada e triste eu estou quanto a esse dito filme que foi feito e, agora, indicado a um Oscar”, começou ela.

“Uma coisa é fazer um filme como esse sem contatar e pedir permissão da família de James, mas outra é ter uma criança reencenando as horas finais da vida de James antes de ele ser brutalmente assassinado e fazer a mim e minha família ter de reviver tudo isso de novo”, acrescentou.

Denise disse que mais de 90 mil pessoas assinaram uma petição para remover o filme do Oscar, mas que, mesmo assim, o material foi “ignorado, assim como meus sentimentos, pela Academia”.