Digitalização é o caminho para a sustentabilidade

Uso da internet diminui necessidade do papel

São Paulo – A pandemia trouxe alguns desafios e novas oportunidades para todo o mercado. Em determinados segmentos, como o jurídico, foi necessário ampliar o uso da tecnologia para manter as atividades. A Justiça, que vinha até então a passos curtos no sentido de se atualizar, passou a fazer audiências virtuais e trocar documentos pela internet.

O que há anos parecia impossível aconteceu: inúmeros profissionais estão trocando o tradicional papel pelos arquivos digitais. Até porque, diante de tantos avanços, é difícil imaginar o sentido de ainda usar tantos materiais impressos que acabam indo parar na lata do lixo.

Muitos segmentos estão repensando o uso de papéis, incluindo os de documentos e panfletos impressos (Foto: Pexels)

Além da praticidade, a digitalização é uma ótima notícia em termos sustentáveis. Apesar de o papel demorar apenas 6 meses para se decompor – contra 500 anos do alumínio – ainda assim, é importante que a sociedade repense todos os consumos. Afinal, se é possível usar e produzir menos algo, por que pensar o contrário?

Vale notar também que a produção de papel necessita de um alto volume de água. Depois da extração da celulose, o material precisa ser lavado diversas vezes, ser cozido e passar por uma pressurização. Então, de forma direta, esse tipo de fabricação prejudica os córregos e afluentes próximos.

Segmentos que já estão aderindo à digitalização

No Tribunal de Justiça de São Paulo, 100% dos novos processos são digitais. Isso significa que os advogados não precisam protocolar presencialmente, nem acumular uma série de papéis. Outras comarcas do país estão caminhando nesse sentido.

O setor comercial também está mudando a forma como se comunica com os consumidores. Os panfletos impressos — que eram a única maneira de divulgar informações e promoções — estão sendo substituídos pelos digitais. Em poucos cliques, o comprador pode ter acesso aos preços sem precisar estar no estabelecimento.

blank

As empresas gastavam dinheiro com a impressão, geravam mais resíduos e tinham poucos interessados nas compras (Foto: Pexels)

No Portal Kimbino, por exemplo, é possível conferir as ofertas de produtos eletrônicos das Lojas Cem, Casas Bahia, Carrefour, Extra e muitas outras redes. O panfleto pode ser aberto pelo celular, notebook ou computador, e não precisa ser baixado.

As estratégias digitais se expandiram tanto, que muitas empresas estão adquirindo sistema tecnológico com o intuito de fazer um e-commerce,  como é o caso das Lojas Cem, fundada em 1952 é considerada uma das maiores empresas de eletrodomésticos do país, que embora não tenha divulgado a data certa para o início das vendas digitais, já tem buscando alternativas sustentáveis. Porém, o cliente fiel das Lojas Cem, tem a possibilidade de acompanhar pela internet as ofertas que são produzidas através dos panfletos  online  e que são publicados semanalmente. Desta maneira, fica mais fácil para os clientes encontrarem ofertas imperdíveis como o Notebook do Positivo, Smart TV LG e o Motorola Edge 2063 que estiveram em promoção recentemente no último mês na tradicional rede de lojas.

Outro segmento que mudou, principalmente por causa da pandemia, foi o imobiliário. A publicidade para vender imóveis sempre foi focada em distribuir papéis para os consumidores nas ruas. Porém, parte significativa das pessoas que pegavam esses materiais mal os olhava. Resultado: as empresas gastavam dinheiro com a impressão, geravam mais resíduos e tinham poucos interessados nas compras.

Para contornar essa situação, construtoras, incorporadoras e imobiliárias estão revendo as estratégias. Em vez de divulgar de maneira presencial os imóveis, muitas estão descobrindo o marketing digital. Por meio da internet, elas podem criar um site para mostrar o empreendimento, fazer campanhas de mídia e até permitir visitas virtuais³. Essas ações podem atrair muito mais a atenção do público para que ele queira conhecer ou conversar com um corretor.

Como visto neste artigo, por uma questão de praticidade e custos, muitos segmentos estão repensando o uso de papéis, incluindo os de documentos e panfletos impressos. Até porque, essas informações podem ser disponibilizadas na internet. Além dessas vantagens, a digitalização é um ponto positivo para a sustentabilidade, já que a produção de papel consome muita água e pode ser diminuída.

Anúncio