Especialistas alertam sobre perigo de ‘carbofobia’ para adeptos de dietas

Para o nutrólogo Kaue Kranholdt, deixar de comer carboidrato pode ser perigoso porque pode eventualmente causar alteração comportamental, o chamado transtorno alimentar

Brasília – O que há em comum entre a dieta cetogênica, a dieta da proteína, e a dieta ‘low carb’? Todas elas restringem, consideravelmente, o consumo dos carboidratos. Muita gente realiza esse tipo de regime e garante que emagrece rapidamente.

O sucesso das dietas sem carboidrato fez com que muita gente acreditasse que o macronutriente é o vilão, ou seja, que carboidrato engorda. “Ele virou ‘vilão’ porque é consumido em excesso de uma maneira geral, principalmente o carboidrato (farinha branca, açúcar). Isso está muito inserido no padrão de alimentação da maioria das pessoas e retirar esses alimentos é um fator primordial para conseguir o emagrecimento. O excesso do consumo de carboidratos não saudáveis acabou criando mais tensão de que todos os carboidratos são ruins”, avaliou o nutrólogo Kaue Kranholdt.

A ‘carbofobia’ é a preocupação unicamente das pessoas com esse ingrediente para fazer uma dieta (Foto: José Luis da Conceição/AE)

O especialista em performance esportiva, emagrecimento e vegetarianismo acredita que, hoje em dia, existe um certo medo de consumir carboidrato. As pessoas acreditam que vão engordar e que até outros elementos macronutrientes, como proteína e gordura, não são tão preocupantes no ganho de peso.

“O carboidrato não é o vilão. O ideal é o equilíbrio sempre. Muitas vezes, o consumo do carboidrato simples é exagerado, aí o paciente procura assistência médica para perder peso e precisa adequar sua alimentação”, explicou a endocrinologista Livia Marcela.

A mestre em Endocrinologia pela Unifesp conta que a maior procura por emagrecimento na clínica é por parte dos jovens, que acompanham esse movimento “low carb” nas redes sociais e surgem com a chamada “carbofobia”, ou seja, o medo de consumir carboidratos.

O nutrólogo Kaue Kranholdt acredita que a “carbofobia” pode ser associada inclusive ao consumo de carboidratos integrais: “É um comportamento alimentar excessivamente preocupado na ingestão de carboidratos”.