Espetáculo teatral propõe reflexão poética e política sobre a Amazônia

Apresentação acontece no próximo dia 22 de agosto, às 19h, no Teatro da Instalação

Manaus – A peça Lugar da Chuva, parceria entre os coletivos Frêmito Teatro (Macapá-AP) e Agrupamento Cynétiko (São Paulo-SP), realiza apresentações gratuitas em Manaus, no Teatro da Instalação, centro de Manaus, no dia 22 de agosto.

A produção é fruto do intercâmbio entre amapaenses, paulistas e um maranhense, que juntos realizaram uma viagem de residência artística por Macapá para colaborar na criação do espetáculo. A proposta do trabalho é reinventar poeticamente a Amazônia amapaense a partir do caldo de nativos, habitantes e viajantes, buscando um lugar de troca onde se possa construir a reflexão.

O texto escrito por Ave Terrena, levantado a partir da sua vivência na cidade, é definido pela autora como uma “dramaturgia cartográfica” (Foto: Divulgação)

Em cena, se entremeiam reflexões sobre uma Amazônia atual, urbana, globalizada, com as questões que movimentam esse momento. Paralelo a isso, o espelhamento e estranhamento com a Natureza, ancestralidades e tradições, buscando ir além dos estereótipos sobre a floresta enquanto um lugar inabitado e sem história.

Logo no início da peça os atores Raphael Brito e Wellington Dias abrem mão da chamada “quarta parede” – a separação entre palco e plateia – para recepcionar o público e convidá-lo a adentrar num barco imaginário, por onde a viagem se inicia. A partir daí, numa espécie de jogo narrativo onde não há personagens fixos, eles vão conduzindo a imaginação do espectador por diversos locais reais e fictícios do Amapá.

Entre os locais reais que o roteiro do espetáculo navega estão a Fortaleza de São José, marco colonial da cidade, a Ilha de Santana, com sua floresta de samaúmas, e o bairro do Araxá, com suas palafitas urbanas, ambientes que se tornaram alguns dos cenários por onde a dramaturgia da peça navega.

O texto escrito por Ave Terrena, levantado a partir da sua vivência na cidade, é definido pela autora como uma “dramaturgia cartográfica”, onde cada cena é uma ilha independente, mas que está em composição com o todo, apostando numa ousada mistura de fluxo narrativo e poético nas falas.

Na peça entremeiam-se reflexões sobre um Amapá atual, urbano e globalizado (Foto: Divulgação)

A peça também conta com projeções de vídeo, criadas por Luciana Ramin, exibindo imagens que foram registradas em Macapá durante o processo de criação. O material bruto foi editado pela artista tendo como inspiração a estética da videoarte, em que ela busca ‘reimaginar’ as paisagens amapaenses pelo viés da poética visual.

A concepção geral do projeto é do diretor e produtor amapaense Otávio Oscar, que deu início à proposta assumindo o desafio de repensar, através do teatro, o lugar da identidade e da cultura amazônicas, que agora não são mais definidas apenas pelas tradições e ancestralidades, mas também por essa nova faceta globalizada que é a Amazônia urbana.

“Apesar de investir em uma linguagem poética, o espetáculo busca sensibilizar o público para um movimento de reflexão política, abordando de forma crítica alguns temas que são urgentes e atuais para a sociedade amazônida, como os problemas sociais, ecológicos e urbanísticos que estão na pauta do momento”, destaca Oscar.

Além do espetáculo, o grupo também oferece uma oficina gratuita de teatro chamada “O Ator Fluvial”, no dia 23 de agosto, no Centro Cultural Usina Chaminé.

A passagem do espetáculo e da oficina por Manaus é parte de uma série de apresentações que contam com o apoio do Edital de Patrocínio do Banco da Amazônia.

Em cena os atores Raphael Brito e Wellington Dias (Foto: Divulgação)

Sinopse

Lugar da Chuva é uma viagem poética e política pela Amazônia amapaense. A dramaturgia cartográfica, que organiza o texto por ilhas, acompanha a trajetória de dois narradores-viajantes por diversos locais na foz do Rio Amazonas, reinventando as sensações que os atravessam durante o percurso entre a cidade e a floresta, entre o mato e o concreto, entre o rio e a rua. Em cena, entremeiam-se reflexões sobre um Amapá atual, urbano e globalizado, em suas complexas relações com a história, as ancestralidades e a natureza.

Serviço

Espetáculo teatral Lugar da Chuva

Data: 22 de agosto de 2019

Local: Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes s/n – Centro – Manaus-AM)

Horário: 19h

Duração: 70 minutos

Entrada: Gratuita

Distribuição de ingressos 1 hora antes de cada apresentação

Classificação etária: 14 anos

Oficina O Ator Fluvial

Data: 23 de agosto de 2019

Local: Centro Cultural Usina Chaminé (Av. Lourenço da Silva Braga s/n – Centro – Manaus-AM)

Horário: 13h às 17h

Inscrições: Gratuitas – 30 minutos antes da oficina, no local

Vagas: 30 vagas, por ordem de chegada

Classificação etária: 14 anos