Exposição aposta na interatividade da geociência com o público

Com entrada gratuita, a mostra levará aos visitantes, testes e experimentos práticos desenvolvidos pelo Serviço de Geológico do Brasil

Manaus – Atividades interativas e muitas curiosidades prometem marcar a exposição ‘Geociências na Amazônia’, que irá acontecer no Sumaúma Park Shopping, a partir desta quarta-feira (14) até o próximo domingo (18). A mostra celebra os 50 anos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e tem entrada gratuita.

Com o objetivo de gerar e disseminar conhecimento geocientífico, contribuir com a qualidade de vida e desenvolvimento sustentável, a exposição vai levar ao público o trabalho desenvolvido pela CPRM na Região Amazônia. Os visitantes vão conhecer as rochas e os minerais da região, os registros de ocorrências e materiais fósseis, os equipamentos utilizados em trabalho e pesquisa de campo.

A exposição no Sumaúma Park Shopping segue até domingo (18) (Foto: Divulgação)

Entre as atividades interativas, a mostra Geociências na Amazônia contará com a ‘Sandbox’, que trata-se de uma caixa de areia de realidade aumentada, que permite simular a topografia do revelo/terreno, a formação de bacias hidrográficas e os processos geomorfológicos. Contará também com a simulação e uso do pluviômetro (mede a precipitação de chuvas, granizo e neve em determinado tempo e local); a realização de testes de identificação mineral, rochas e outras atividades.

Os visitantes poderão ainda apreciar um acervo de gemas e minerais preciosos e semiprecisosos de diversas localidades, inclusive de outros países, além da exibição de vídeos institucionais sobre o fazer geocientífico do CPRM.

Sobre CPRM

Com uma infraestrutura operacional instalada em todo o país, o Serviço Geológico do Brasil desenvolve projetos e ações nas áreas de Geologia, Recursos Minerais, Hidrologia, Gestão Territorial e Infraestrutura Geocientífica.

Na capital amazonense, a CPRM opera e divulga o Alerta de Cheias de Manaus há 30 anos. O Sistema de Alerta Hidrológico de Manaus monitora a bacia do rio Amazonas e os níveis de água dos rios Solimões, Negro e Amazonas. Esse sistema opera com antecedência de três meses e é fundamental para que a população e os órgãos competentes possam se preparar para casos de inundações.

Anúncio