Felipe Titto é detido após tentar impedir abandono de cachorro

O artista contou que seguiu o homem que deixou o animal na rua, foi até um posto policial denunciar a ação e discutiu com um agente

Rio Grande do Sul – Felipe Titto contou nas redes sociais, na noite desta segunda-feira (12), que viu um homem abandonar um cachorro à beira de uma rodovia, no município de Canela, no Rio Grande do Sul, e foi parar na delegacia por tentar impedir o abandono.

Durante o relato, o ator afirmou que foi atrás do homem de carro, emparelhou o veículo e pediu para ele parar o automóvel para eles conversarem. O homem ignorou os sinais e Felipe seguiu o carro até o posto da polícia, onde ele acabou discutindo com um agente e foi preso.

Felipe Titto é detido após tentar impedir abandono de cachorro (Foto: Reprodução / Instagram)

“Sexta eu estava no Rio Grande do Sul e voltando da visita e, chegando em Canela, eu vi um carro arrancando do acostamento abandonando um cachorrinho, um vira-lata. E o cachorrinho saiu em disparada. Só tinha nós dois na rodovia e o cachorro disparado, muito rápido, desesperado atrás desse carro. Vi esta cena, fui atrás do carro. Tendo feito isso. Emparelho com o carro, ele fechou o vidro e foi embora. Afinal, é crime abandonar um animal”, começou Titto.

“Nisso, me sai um policial da brigada mandando eu falar baixo. Quem me conhece sabe que eu defendo a polícia, mas todo saco de laranja tem uma laranja podre e dei de frente com elas. Segui esse cara porque ele abandonou um cachorro. Não foi perseguição de filme, eu fui atrás do cara”, explicou o ator.

Nesse momento, o artista explicou que pegou o celular para ligar para o seu advogado e o policial o deu voz de prisão. “Olhei pro meu sócio: ‘Dá meu celular aí’, porque eu ia ligar pra advogado. E o cara olhou: ‘Me senti coagido! Agora você me desacatou! Você está preso!’. Dei o braço pra ele, me algemou por cima do meu relógio e me jogou dentro da viatura. Me levou pra fazer corpo de delito, depois me levou pra delegacia, dei meu depoimento, ele me soltou.”

Ele contou ainda que enquanto estava na viatura, os policiais fizeram piadas sobre usar o fuzil nele. Titto contou que tem vários dados dos agentes que fizeram a abordagem e que sua advogada vai tomar as providências cabíveis.

“Agora, fico pensando em preto, pobre, favelado, sem instrução nenhuma. O que esses caras não passam nas mãos dessas laranjas podres da corporação? É bom pra gente abrir o nosso olho”, finalizou.