Filho de Rita Lee relata ‘sensação de vazio’ ao voltar para a casa da mãe

João Lee disse que nunca imaginou ter que passar por isso, mas no final do choque de realidade, conseguir sentir a mãe com ele

São Paulo – João Lee usou o Instagram, nesta sexta-feira (19), para contar aos seguidores como foi voltar para a casa da mãe, Rita Lee, pela primeira vez após a morte da cantora. Roberto de Carvalho também acompanhou o filho para visitar a casa onde eles moravam. A artista, que lutava contra um câncer de pulmão desde 2021, morreu, no último dia 8, em casa, ao lado da família.

João Lee diz que sentiu um vazio ao voltar para a casa da mãe pela primeira vez. (Foto: Reprodução / Instagram)

“Antes de ontem foi o dia em que meu pai e eu resolvemos voltar para a casa onde eles moram. Foi a primeira vez desde que minha mãe partiu e depois de três meses morando juntos no meu apartamento”, começou João no texto.

Ele disse que, durante o caminho para a casa dos pais, ele não sabia o que esperar e o que iria sentir. “Para ser sincero, nunca imaginei que um dia viveria isso. É tudo tão estranho. De alguma maneira, sempre enxerguei minha mãe e meu pai meio que como seres eternos e imortais.”

João contou que, ao entrar no condomínio, sentiu um fio enorme na barriga, e ficou parado dentro do carro por 10 minutos, sem conseguir sair do lugar: “Do nada, fui atropelado por um turbilhão de memórias e sentimentos, tudo meio que em fast forward, bagunçado e ao mesmo tempo. Foi muito maluco”.

“Quando finalmente achei que tinha voltado ao normal, percebi que meus sentidos estavam meio desequilibrados. Minha fala estava meio amarrada e travada e meus ouvidos ficaram mais sensíveis do que o normal. Um micro barulhinho do carro parecia um barulhão. Saí do carro e fiquei em pé olhando para a casa. A casa que passei os últimos dois anos. A casa onde vivi momentos difíceis e momentos tão especiais”, continuou.

João explicou que não conseguia dizer nada, e focou nos ouvidos, para quem sabe ouvir o som da natureza ou algo que o trouxesse calma. Porém, ele disse que só conseguiu ouvir um silêncio absoluto: “Viver esse momento é viver um vazio diferente e impossível de explicar em palavras. Só quem passa por isso sabe como é. Não existe um outro vazio que seja tão forte ou que chegue perto”.

“Visitei todos os ambientes e cantinhos onde ela costumava ficar. Jantei sentado no lugar onde ela jantava na mesa, assisti TV sentado no seu lugar no sofá, fui ao seu quarto, abracei e cheirei suas roupas, deitei na cama e olhei para as estrelinhas do teto… Fiz um tour completo por todos os seus cantinhos prediletos. Mas, acabei indo dormir sem ter conseguido o que mais queria: sentir a presença dela aqui comigo. A sensação de vazio ainda é muito persistente e forte”, escreveu.

O filho de Rita também comentou sobre as autobiografias da mãe. Ele disse que demorou muito para terminar de ler Rita Lee: Uma Autobiografia, porque começava a leitura e parava várias vezes: “Foi difícil. Agora, acho que já li umas 10 vezes. Irei ler outras milhares. É um livro absolutamente mágico e maravilhoso. Cada vez que leio percebo mais e mais coisas. Quem não leu ainda, não imagina o que está perdendo”.

João disse que passou a noite de ontem lendo a nova autobiografia da mãe, que vai ser lançada na próxima segunda-feira (22), porque ele queria ler o quanto antes. “Meu pai o leu na semana passada, e, quando terminou, me entregou e disse: ‘Você tem que ler esse livro já. Você vai adorar e entender muitas coisas, principalmente a perspectiva e a forma como ela enxerga tudo o que vivemos nos últimos dois anos'”.

“Fiquei, ontem, o dia todo sentado e lendo o livro na mesma cadeira e posição em que ela escreveu suas duas autobiografias. Lendo o livro, além de me trazer conforto e paz, trouxe também aquilo eu mais queria: a sensação de que ela está aqui comigo”, disse.

Ele contou que passou o dia todo arrepiado, como se a mãe estivesse sentada ao lado dele contando tudo sobre o livro. “Eu consegui ouvir a sua voz lendo o texto. Agora, sinto a sua presença em toda a casa. Está dando um quentinho no coração e na alma que estava precisando. Parabéns pelo livro novo, mãe. Escrever um livro assim, passando pelo que estava passando, me faz ter ainda mais orgulho e admiração por você. Love you forever”, completou.

Anúncio