‘Gueto’, nova música de Iza, ganha clipe exaltando periferia

O clipe de Iza está cheio de cores e referências ao subúrbio brasileiro e inicia preparação para novo álbum

São Paulo – A nova música da cantora Iza, Gueto, lançada na noite desta quinta-feira (3), ganhou um clipe cheio de cores, referências e exaltando a cultura da periferia.

A letra retrata o orgulho que a artista tem de suas raízes, trajeto e história, e o diretor do clipe, Felipe Sassi, apresenta bem isso no vídeo.Nascida na zona norte do Rio de Janeiro, Iza mostra estar no comando de sua jornada, como diz o verso: “de Olaria até a Colômbia, eu sei pra onde eu vou”.

Nova música de Iza ganha clipe exaltando periferia (Foto: Reprodução)

Gueto é o início do segundo álbum de estúdio da cantora, que ainda não tem data confirmada e está em finalização. Na própria letra da música, Iza afirma que é só o começo. “Então, olha pro alto onde a gente chegou, eu sou da zona norte, Rio de Janeiro. Então, olha pro alto onde a gente chegou, e eu não vou parar”, canta.

Participações especiais

A música Gueto foi anunciada na quarta-feira (26), com um vídeo narrado por Zezé Motta e Maju Coutinho, em que a atriz e a jornalista exaltam a cultura da periferia brasileira, dizendo como o gueto é mais que um lugar, um estilo de vida, é cultura, é arte e resistência.

Com referências à cultura do subúrbio, como o sacolé, o futebol na rua pintada, o frango assado na porta da padaria, o banho de mangueira, as escolas de samba – paixão declarada da cantora – e até a mãe da cantora subindo as escadas da Basílica de Nossa Sra. da Penha, na capital carioca, o clipe traz uma linda composição e abre muito bem a nova era de Iza.

Revista

Na última semana, Iza foi eleita pela revista Time como uma das personalidades líderes da próxima geração. A cantora de 30 anos está entre as dez pessoas escolhidas pela publicação na categoria este ano.

Time destacou a trajetória da brasileira e como ela se tornou uma das importantes vozes contra o racismo no Brasil. “Eu não falo sobre racismo por ser um assunto que gosto, falo porque é necessário. Posso dizer muito através da música. Nosso microfone é uma arma e precisa ser usado”, disse ela à revista americana.

Anúncio