Klara Castanho: hospital abre sindicância para apurar suposto vazamento de dados sigilosos

Em desabafo, a atriz contou que foi ameaçada por uma enfermeira, que acompanhou seu parto, de divulgar o caso à imprensa

São Paulo – O Hospital e Maternidade Brasil, administrado pela Rede D’Or, disse em nota, divulgada neste domingo (26), que abriu uma sindicância interna para apurar o caso de vazamento de prontuário médico da atriz Klara Castanho.

Klara Castanho afirma que o caso deveria ter acontecido em sigilo. (Foto: Reprodução / Instagram)

“O Hospital Brasil tem como princípio preservar a privacidade de seus pacientes bem como o sigilo das informações do prontuário médico. O hospital se solidariza com a paciente e familiares e informa que abriu uma sindicância interna para a apuração desse fato”, diz o comunicado enviado pela assessoria.

A atriz fez um relato no último sábado (25) dizendo que foi ameaçada por uma enfermeira após dar à luz um bebê. No desabafo, a artista conta que a gravidez foi resultado de estupro e que entregou a criança para adoção.

Segundo Klara, horas depois da conversa com a profissional de saúde, ela foi procurada por um colunista para comentar o caso. O jornalista em questão confirmou que soube da história por intermédio de uma enfermeira.

Anúncio