Na UTI, Paulo Gustavo apresenta piora em sinais vitais após embolia

Quadro de humorista, que respira com a ajuda de aparelhos, é considerado ‘instável e de extrema gravidade’ pela equipe médica

São Paulo – Paulo Gustavo apresentou piora nos sinais vitais nas últimas 24 horas. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (3) pela assessoria de imprensa do humorista. De acordo com o novo boletim médico, o quadro clínico do ator é considerado “instável e de extrema gravidade” após identificação de uma embolia gasosa disseminada, que afetou, entre outras coisas, o sistema nervoso central.

O artista, que está internado desde o dia 13 de março por conta de complicações da Covid-19 — doença sistêmica provocada pelo novo coronavírus —, permanece respirando com a ajuda de aparelhos na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), em um hospital particular no Rio de Janeiro.

(Foto: Reprodução / Redes Sociais)

“Ontem à tarde, após uma redução dos sedativos e do bloqueador neuromuscular, o paciente acordou e interagiu bem com a equipe profissional e com o seu marido. À noite, subitamente, houve uma piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central […] Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade”, explicou a nota.

Internação de Paulo Gustavo

O comediante está internado desde o dia 13 de março, em um hospital particular do Rio de Janeiro, após ser diagnosticado com Covid-19. Segundo informações da equipe do ator, ele foi hospitalizado por orientação médica.

Uma semana após a confirmação da internação, Paulo Gustavo precisou ser transferido para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para ser intubado. “A assessoria confirma, por meio deste comunicado, que o ator, em plena consciência de seu estado, necessitou entrar em ventilação mecânica invasiva, para ser tratado de forma mais segura”, diz um dos trechos da nota.

No dia 2 de abril, o quadro do humorista piorou e ele foi submetido ao uso de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea) — aparelho que funciona como um pulmão artificial e oferece oxigenação para pacientes em estado crítico. Desde que iniciou a terapia, ele apresentou sinas de melhora, segundo boletim médico divulgado no último dia 5.

Devido às sessões de ECMO, Paulo Gustavo precisou receber transfusão de sangue, no último dia 7 de abril. “Ele tem que ficar anticoagulado, perde um pouco de sangue, e por isso precisou tomar algumas bolsas de sangue”, explicou Thales Bretas.

No último dia 9 de abril, Paulo Gustavo passou por mais um procedimento médico devido às complicações pulmonares causadas pela doença. Após a microcirurgia, a equipe responsável explicou que o quadro dele ainda era grave, porém estável.

Dias depois, em 26 de abril, o humorista foi diagnosticado com uma nova pneumonia bacteriana. De acordo com boletim oficial, nova complicação estava sendo tratada. Além disso, uma melhora na função pulmonar foi identificada.