Filme produzido por alunos de escola particular de Manaus concorre em festival

Roteiro de ‘Orgulho, Preconceitos e Nachos’ traz um cupido mexicano e sátira com Donald Trump

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

Curta metragem foi produzido por alunos do Martha Falcão

O trabalho dos adolescentes foi o único a participar em duas categorias: Melhor Roteiro e Melhor Produção (Foto: Reprodução)

Manaus – O curta metragem ‘Orgulho, Preconceito e Nachos’, produzido por alunos do Colégio Martha Falcão, concorreu, na última semana, com mais de 300 produções de escolas de todo o Brasil no 1° Festival de Curtas da Árvore de Livros. Produção teve desde cupido mexicano a sátira com o presidente norte-americano Donald Trump.

As alunas responsáveis pelo curta, Isabelle Flores, Maria Luiza Coutinho, Mayara Escobar e Gabrielle Luz, contam que a experiência foi surpreendente. “Jamais imaginávamos que nos classificaríamos para o festival, tivemos a ideia de fazer a nossa versão sobre o romance da escritora britânica Jane Austen e a Mayra, que é de origem mexicana, sugeriu que a história merecia algo diferente, inserir um cupido mexicano e que fizesse uma sátira com o Donald Trump”, disseram as alunas do 9° ano.

E o trabalho delas também foi aprovado pelos pais. A mãe de Gabrielle, Ana Cristina Luz, destaca que produzir o curta com o apoio do Colégio Martha Falcão foi, sem dúvida, uma forma de incentivar as crianças e adolescentes a trabalharem em equipe, serem responsáveis e dar asas a imaginação.

“Mesmo que o curta não tenha sido o primeiro nas categorias que concorreram, ficamos bastante orgulhosos e impressionados com o trabalho dos alunos. Eles já chegaram com o roteiro pronto”, disse o professor e artista plástico Nelson Falcão.

A premiação foi uma iniciativa da plataforma de leitura digital Árvore de Livros, que pretende unir cinema e literatura, com o objetivo de contribuir para a formação de leitores críticos capazes de estabelecer relações entre diferentes mídias e linguagem.

O trabalho dos adolescentes foi o único a participar em duas categorias: Melhor Roteiro e Melhor Produção.

O Mito e a Luneta

Outro curta produzido pelos alunos foi ‘O Mito da Luneta’, por alunos do 8° ano, que apesar de não ter sido classificado no festival, rendeu elogios dos professores da instituição.

Durante um mês, os alunos conheceram um pouco mais sobre o universo do cinema, aprender técnicas de filmagem, roteiro e construção de personagem. O resultado do trabalho final foi a produção de um curta-metragem com até 5 minutos, inspirado em um dos livros disponíveis na plataforma e selecionado pelos alunos.

O festival contou ainda com alguns especialistas convidados, como o ator Wagner Moura, a escritora Bárbara Morais e o cofundador da Árvore de Livros, João Leal.

“O projeto foi desenhado especialmente para os adolescentes que já nasceram na era digital. Jovens que buscam novidades a todo instante e que, muitas vezes, não se sentem estimulados por métodos tradicionais de ensino. Queremos aproveitar a importância que o audiovisual tem no dia a dia desses alunos, que passam boa parte do tempo vendo vídeos no Youtube e produzindo conteúdos para as redes sociais, para propor uma nova forma de enxergar a literatura”, afirma João.