Jogo criado por jovens aprendizes do Senac AM é aprovado em programa nacional de fomento

O game simula o cotidiano de um jovem em busca do seu primeiro emprego

Manaus – O jogo “Aprendiz Story”, criado por jovens aprendizes do Senac Amazonas, é uma das 28 propostas pré-selecionadas para o programa Centelha, executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Finep em parceria com a CNPq, Confap e operado pela Fundação Certi.

O game, que tem como objetivo simular o cotidiano de um jovem em busca do seu primeiro emprego e, conforme o jogador for passando de fase, colocá-lo em tarefas cotidianas dentro de uma empresa, está pré-aprovado para receber o prêmio, que poderá chegar até R$ 65 mil, por meio de subvenção econômica, ou seja, recursos não reembolsáveis. O Centelha tem o objetivo de apoiar e tonar reais as ideias inovadoras em empreendimentos que contribuam com novas tecnologias aos diversos setores econômicos do Estado. O resultado final e definitivo será divulgado no dia 17 de julho deste ano.

(Foto: Divulgação)

O projeto dos aprendizes do Senac Amazonas se destacou das 964 ideias submetidas ao edital e avançou as 3 fases eliminatórias do programa executado pela Fapeam, desde o mês de agosto de 2019. Participaram da seletiva, ao todo, 35 municípios do Amazonas.

O jogo

O projeto Aprendiz Story é um jogo criado pelos alunos do Curso de Aprendizagem Comercial do SENAC, sob a supervisão e coordenação do professor Erick Mattos. Ele tem o objetivo de simular o cotidiano de um jovem em busca do seu primeiro emprego e fazê-lo vivenciar o trabalho dentro de uma empresa, como explica o aprendiz Luiz Miguel.

“O game tem a proposta de ensinar o jovem de maneira prática, ágil e divertida, além de ser um ótimo exercício para o cérebro. No jogo ele aprende como criar um currículo, como funciona uma empresa e de que maneira tratar as pessoas na empresa. Basicamente o jogo proporciona aprendizagem de forma lúdica, com métodos de treinamento, habilidades e uma maior interação entre jovem e empresa”, disse o jovem empreendedor, que é responsável pelo marketing.

Além do professor Erick e de Luiz Miguel, a equipe também conta com a participação do estudante de sistemas Rodrigo Mesquita, que é o programador do game. Agora o trio se prepara para os próximos passos.

Após a entrega do protótipo Aprendiz Story Versão PC, o desafio dos mantedores do projeto será desenvolver, de forma independente, a versão Android para Smartphone, a engajar o maior número de jovens aprendizes do Amazonas, para posteriormente poder apresentá-lo na Campus Party.