Gloss leva representatividade da arte LGBTQIA+ do Norte para o Brasil

O balé LBGTQIA+ alça voos altos e promete conquistar o país

Manaus – Uma história que começa há 17 anos como diretor criativo e coreógrafo de diversas bandas, inclusive nacionais, fincando raízes em Manaus na banda Rabo de Vaca. Trata-se de Alê Pavanello que em tempos de pandemia e com o intuito de se reinventar, toma coragem necessária para apostar no projeto independente grupo Gloss. O balé LBGTQIA+ alça voos altos e promete conquistar o país.

“Sou de Belém do Pará, mas foi na capital do Amazonas que estacionei com o Grupo Rabo de Vaca que me deu toda a infraestrutura e reconhecimento. Durante a pandemia, veio o convite de dois produtores musicais para eu assumir um projeto LGBTQIA+ e um deles seria encaminhado para a política. Queriam usar minha voz e meus seguidores para chegar até o nosso público”, explica o artista.

Foto: Divulgação

Mas, o projeto político ficou de lado e Alê decidiu fazê-lo de forma independente. “Gravei um clipe dentro do Circo Marcos Frota, que inclusive foi um dos incentivadores. Deu muito certo mas não viralizou, porém, os produtores do SBT viram o vídeo no Instagram e me convidaram para participar do 10 ou mil. E a partir disso, muitas portas se abriram, tanto que já tem outro programa nacional para gravar”, conta.

Recentemente, Alê Pavanello e o grupo Gloss se apresentaram, com música e coreografia autoral, no programa comandado pelo conhecido comunicador Ratinho. “O feedback do programa foi muito bom. Tivemos muitos comentários positivos, da Nany People, o próprio Ratinho fez recomendações para eu pesquisar e analisar o projeto do ‘Secos e Molhados’ do Ney Matogrosso. Para mim foi muito válido, inclusive para o engajamento no Instagram”, diz.

Em breve, Gloss deve participar do programa A Hora do Faro, na Record TV. O artista conta que a produção ficou maravilhada com o projeto. “Nosso diferencial é sermos do Norte e eu me senti muito acolhido. Por isso, vou dar o start”.

 

blank
Foto: Divulgação

Projetos

A carreira solo com um projeto próprio chegou para ficar e os planos estão a todo vapor, inclusive com o auxílio do empresário Marcelo Lins, da Fly Produções.

“Quero gravar um outro clipe em julho. Vou seguir produzindo conteúdo para o meu público, o público LGBTQIA +.  Já tenho cinco músicas gravadas e estou com o projeto de fazer uma Live e DVD e desse registro extrair cinco músicas para divulgar nas minhas redes sociais. E esperar tudo isso passar (pandemia) para entrar de vez no show business com uma diferente que o Norte vai ter que é uma representatividade LGBTQIA +. Já temos parcerias com artistas drags reconhecidas nacionalmente como Aretuza Love, já fez vários trabalhos com outros artistas e seja o que Deus quiser!”

*Com informações da assessoria

Anúncio