Grande Museu Egípcio será inaugurado em 2021

Governo egípcio informou que 90% do museu está pronto

Manaus – Falar sobre o Egito é abrir-se para um mundo de mistérios e fascínios. Até hoje especialistas debatem sobre como monumentos faraônicos foram erguidos usando ferramentas rudimentares e dividem opiniões sobre a execução no carregamento de pedras de dezenas de toneladas na construção das Pirâmides de Gizé. A admiração aumenta se pensarmos nas precisões matemáticas e alinhamentos estelares de tumbas e templos, como o Templo de Ramsés II em Abu Simbel, cujo interior é banhado pelos raios solares apenas nos dias 22 de fevereiro e 22 de outubro, respectivamente aniversário do faraó e sua data de coroação. O interesse por essa cultura é também responsável pela movimentação na indústria do entretenimento em diversos segmentos, de cinema a jogos, moda e literatura.

Portanto, é normal que qualquer notícia sobre essa cultura milenar cause curiosidade, como é o caso da construção do Grande Museu Egípcio (GME), que será inaugurado em 2021. A data já foi adiada anteriomente, mas dessa vez a decisão foi estratégica, pois considerou-se que 2021 é um ano mais propício do que 2020 para tal empreendimento. O governo egípcio informou em 1 de julho que 90% do museu está pronto.

GME será inaugurado em 2021 (Foto: Divulgação)

O que esperar do novo museu

O GME é uma obra audaciosa e o governo egípcio não quer que este seja apenas mais um museu. Logo na entrada, visitantes serão recebidos por uma enorme estátua de Ramsés II. Eles desfrutarão de salas interativas de cinema que os levarão a uma viagem de 4 mil anos atrás, assim como uma câmara exclusiva de Tesouros do rei Tutancâmon que abrigará 4 mil objetos. Dentre outras instalações, está um centro arqueológico de pesquisa para estudiosos. A construção gigantesca é parte do plano do museu ser uma casa completa para os milhares de objetos pertencentes ao Egito Antigo. Para se ter ideia, o atual Museu Egípcio no Cairo exibe 120 mil itens e ainda assim não possui espaço para a coleção total, lembrando que novos artefatos ainda continuam a ser descobertos.

Benefício para diversas indústrias

Muito além de mera curiosidade, não é de hoje que a cultura egípcia prova ser uma boa fonte de inspiração para produtos e serviços oferecidos por diversos setores. No caso do cinema, filmes como Deuses do Egito e A Múmia, assim como a clássica Elizabeth Taylor como Cleopátra, atiçam o imaginário popular. Lendas egípcias, deuses e faraós também servem de inspiração para jogos como Rise of Egypt e Book of Ra Deluxe, disponíveis em plataformas como a Leovegas caça-níqueis, além da quantidade de livros publicados sobre o tema anualmente. Se estes já contam com o apoio do público, é provável então que mais novidades sejam lançadas com a abertura do novo museu.

Conquista garantida

As indústrias cinematográficas, de apostas, de jogos, de turismo, editoras e outras alimentam a expectativa do público e tudo indica que o GME será um sucesso, basta olharmos para todas as vezes que o Egito Antigo virou tema de exposição. Em 1967, quando a múmia de Tutancâmon foi exibida em Paris, registrou-se o impressionante número de 1,2 milhões de visitantes, e recentemente, em 2019, sua segunda exibição provou que o público continua interessado: foram 1,3 milhões de visitantes. Até no Brasil o resultado foi supreendente, e o CCBB Rio registrou a marca de 1 milhão de visitantes, a maior de sua história, com a mostra Egito Antigo: do cotidiano à eternidade.

Para adicionar a cereja do bolo, o novo museu está localizado de frente para a Grande Pirâmide de Gizé, a única das 7 maravilhas do Mundo Antigo ainda existente. Aguardemos mais informações, pois certamente ainda teremos muitas boas notícias para dar a respeito desse tema.

Anúncio