Isolamento na pandemia pode levar à compulsão

Permanecer o maior tempo possível em casa e aquela sensação de estar ocioso pode desenvolver diversas consequências psicológicas e físicas

São Paulo – Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a vida das pessoas teve que mudar de forma rápida e, muitas vezes, drástica. Incertezas no trabalho, restrições no convívio familiar e social e até mesmo a adaptação de comportamento a novas rotinas foram o principal gatilho de mudanças, nem sempre aceitas, mas necessárias.

Um dos principais transtornos compulsivos é o alimentar. (Foto: Reprodução / Internet)

Tentar lidar com ansiedade, angústia, culpas, estresse e frustrações pode encontrar lugar na compulsão como forma de aliviar incômodos e dores. A casa, que antes era um local de descanso, se tornou o habitat de trabalho, estudo para todos os membros da família 24 horas por dia. O outro lugar, onde podíamos esquecer um pouco as obrigações, não existe mais, e esta angústia por criar novas rotinas como home-office, não ir para a escola/faculdade, permanecer o maior tempo possível em casa e aquela sensação de estar oscioso pode desenvolver diversas consequências psicológicas e físicas. Entre elas está a compulsão.

O que é compulsão

Comportamento compulsivo são hábitos específicos repetidos excessivamente obtendo alívio e prazer imediato. Diferente do que muitas pessoas imaginam, a compulsão não está associada exclusivamente ao uso de drogas e álcool.

Pós-pandemia e os quilinhos a mais

Neste período é possível desenvolver diversos comportamentos compulsivos. Entre eles, senão o principal, é a compulsão alimentar. As pessoas mesmas reconhecem que após a pandemia irão voltar à rotina com uns quilinhos a mais. A compulsão alimentar é a necessidade de comer mesmo quando não sente fome (principalmente alimentos calóricos). Em casa, os alimentos estão ao alcance a hora que se quer e normalmente são aqueles que não se costuma ingerir diariamente (bolos, biscoitos). A popularização dos aplicativos de delivery também contribuiu para que a comida chegasse com mais facilidade a casa das pessoas. Diferente de quando as refeições/lanches são preparadas para serem levadas ao trabalho ou escola (mais saudáveis).

Outra compulsão que ganhou grandes proporções neste período de pandemia foi a de compras. Como estamos online em grande parte do dia, ao navegar na internet somos bombardeados com promoções e sites de itens que são do nosso interesse. Para muitas pessoas fica difícil resistir e acabam caindo na tentação. Esse descontrole só é percebido no final do mês, com a chegada da fatura do cartão de crédito.

Dicas para lidar melhor com a compulsão

1) Perceber-se neste modo de funcionamento é o primeiro ponto para se livrar de uma compulsão.

2) Ocupar-se de atividades prazerosas também ajuda a controlar a compulsão, ainda mais quando a causa deste descontrole vem do estresse e da ansiedade.

3) Dar um tempo para si mesmo antes de comer, comprar, beber, jogar. Não faça no momento que a vontade aparece. Espere e pense sobre sua ação.

4) Fique distante do seu objeto de compulsão.

5) Compulsão não se resolve quando troca-se de objeto, por exemplo, deixa de comer e começa a beber demais.

6) Procure ajuda de um profissional – nem sempre as pessoas conseguem resolver apenas com controle. Se você diz: “Não consigo” ou “Não sei por que faço isso”, então precisa de um profissional.

Anúncio