Mural em homenagem ao cantor Zezinho Corrêa é inaugurado em Manaus

A obra integra o projeto “Zezinho Corrêa Vive”, produzida pelo artista visual parintinense Jarbas do Carmo Gato Marinho, o “Lobão”

Manaus – Um mural de aproximadamente 15 metros de comprimento em homenagem ao cantor amazonense Zezinho Corrêa, foi inaugurado na noite deste sábado (27) na lateral do edifício Zulmira Bittencourt, 654, localizado na Avenida Eduardo Ribeiro, ao lado do Teatro Amazonas, Centro. Zezinho Corrêa morreu em fevereiro de 2021, vítima de Covid-19.

(Foto: Altemar Alcantara / Semcom)

A obra integra o projeto “Zezinho Corrêa Vive”, produzida pelo artista visual parintinense Jarbas do Carmo Gato Marinho, o “Lobão”. O muralista explica que há algum tempo esperava para realizar essa homenagem ao cantor. Mas, foi somente após ter sido contemplado no “Edital Prêmio Manaus Zezinho Corrêa 2021”, que essa vontade se tornou realidade.

“Queria ter podido realizar essa linda homenagem antes, em vida para o Zezinho, porém, não tive essa oportunidade. Após sua partida surgiu esse edital com o nome do Zezinho Corrêa e eu tive o privilégio de ser um dos vencedores e poder homenageá-lo”.

O artista visual disse que representa por seus trabalhos a temática regional, como fauna e flora, além de personagens nativos da Amazônia, suas vidas e costumes, com o uso de técnicas como o realismo. O projeto contou também com o apoio dos artistas visuais, Sprok, Bin e Nix.

“O local escolhido para a obra é extremamente representativo, ao lado do Teatro Amazonas, é cheio de referências, pois, foi ali, ao lado do nosso cartão postal que o cantor gravou o seu CD solo nos anos 2000”.

A cerimônia teve os shows do DJ Marcos Tubarão, dos rappers S Preto e Igor Muniz, e do cantor e compositor Nicolas Júnior.

O artista

Jarbas Lobão é amazonense, natural de Parintins (AM), vive na capital amazonense há 25 anos, e desde o ano de 1999 começou na arte de rua, colorindo sua cidade natal. Atualmente, o artista é um dos mais importantes e influentes nomes do grafite do Norte do País. Considerado autodidata, integra a primeira geração de grafite em Manaus. Seu trabalho pode ser visto em grandes publicações, exposições, marcas, painéis e em vários muros da capital amazonense.

blank

(Foto: Altemar Alcantara / Semcom)

Realismo, figuras humanas, personagens regionais, cenários regionais e tropicais, letras wild style, letras em 3D e objetos tridimensionais, compõem o trabalho do artista, que já participou, em 2009, do evento “Internacional de Graffiti Meeting of Styles Brasil”, em São Paulo (SP), e em 2017 e 2018, do “Festival Amazônia Walls”.

Ganhou em 2000 e 2001 o prêmio “Revelação de Graffiti Manaus”, pelo Movimento Hip-Hop Manaus (MHM). É um dos organizadores do maior evento de grafite do Norte, o Black & White, e ao longo da carreira, realizou diversas oficinas, exposições, mostras, eventos e workshops sobre grafite.

Anúncio