Duo eletrônico do AM lança EP nas plataformas digitais, em junho

‘Completo Pra Recomeçar’ conta com seis faixas autorais com proposta que incorpora som tradicional ao tecnológico

Manaus – Conectar as pessoas por meio da música. É esse o objetivo do duo Jardins de Yoni, que lançará o primeiro EP da carreira, no dia 1º de junho. ‘Completo Pra Recomeçar’ chega às plataformas digitais de áudio com seis faixas autorais, escritas e produzidas por Victor Torres (guitarra e vocal) e Diego Nogueira (sintetizadores, beats e teclas). A personalidade musical da dupla é permeada por elementos que passeiam entre o moderno e o retrô, com letras que traduzem experiências reais.

Formado em 2016, o duo coleciona composições que foram aprimoradas ao longo do tempo, resultando em versões musicalmente mais maduras. As faixas selecionadas para compor o EP foram ‘Divalproato’ (música de trabalho), ‘Primeira Vez’, ‘Saudade Repassada’, ‘Meio Barro, Meio Tijolo’, ‘Fim dos Trabalhos’ e a instrumental ‘Mergulho Lento’.

A dupla aposta na música como aliada em um momento em que as pessoas buscam formas de manter o bem-estar, diante de um cenário inesperado de pandemia. “A gente vive um momento ímpar na história da nossa geração. A música é um alento para as pessoas. Não temos a pretensão de ser o novo sucesso nacional, mas que quem ouça se sinta conectado com alguma coisa. Arte é isso. É mudar a vida de alguém por um instante, breve ou não. Que ela chegue nas pessoas certas e que as pessoas se identifiquem”, avalia Diego Nogueira.

Victor Torres (guitarra e vocal) e Diego Nogueira (sintetizadores, beats e teclas) são os responsáveis pelo duo Jardins de Yoni (Foto: Divulgação)

Cenário local

Foi na cena alternativa de Manaus que tudo começou, quatro anos atrás. “Eu já tocava em uma banda autoral de rock alternativo e também em especiais de bandas. Em um desses especiais conheci o Diego e, após tocarmos juntos, mostrei umas músicas minhas no violão e perguntei se ele tinha interesse em gravar/produzir, daí surgiu a Jardins”, disse Victor.

De lá para cá, a Jardins já marcou território em palcos importantes. “Fizemos algumas apresentações, com banda e como duo, em seletivas de festivais, abertura de shows de outras bandas locais, como a Luneta Mágica e a Cardíaco; especiais no Palacete Provincial, e o Fuá, que é uma atividade cultural e gastronômica”, elencou Diego.

Curiosidade

O nome da banda surgiu bem antes de ela existir. “Peguei um livro de psicologia sobre simbolismo e li que ‘jardins’ significava ‘paraíso’ em algumas religiões, algo bem óbvio, mas explodiu minha cabeça, na época. Eu tinha uma palavra, mas queria um nome composto. Foi aí que, na última página do livro, tinha um triangulo de cabeça para baixo. Li que o nome era Yoni, local de nascimento, sagrado, deusa suprema. E ali nasceu a Jardins de Yoni”, explicou Victor Torres.