Grupo de samba e pagode faz live solidária em prol da Casa Vhida

O show da banda Vai Garotão será transmitido às 18h desta sexta-feira (8), no Facebook e YouTube do grupo

Manaus – Nesta sexta-feira (8), o grupo de samba e pagode Vai Garotão comemora 15 anos de carreira. E, para celebrar a data, será realizada uma live solidária para arrecadar alimentos para a instituição Casa Vhida, que atende bebês, crianças e adolescentes que convivem com HIV/Aids no Estado do Amazonas. O show será transmitido às 18h, no Facebook e YouTube da banda. O público poderá realizar as doações entrando em contato por meio dos telefones (92) 9 8816-9658 e 9 99409-8741.

Durante a live do grupo Vai Garotão, o público poderá mandar mensagens e pedir suas músicas preferidas (Foto: Divulgação)

“Nesse momento de isolamento social, por conta da pandemia do novo coronavírus, planejamos comemorar nossos 15 anos de uma forma diferente”, diz Netinho Carvalho, vocalista do grupo Vai Garotão. “Durante a live, o público poderá mandar mensagens e pedir suas músicas preferidas, no conforto do seu lar. Esse, sem dúvida, será o nosso maior presente, levarmos um pouco de esperança às pessoas num momentos tão difícil”.

A banda começou sua trajetória de forma despretensiosa, com reuniões entre amigos, apaixonados por samba, pagode e boi bumbá, no Parque 10. Aos poucos, a ‘brincadeira’ foi ficando séria e, quando o grupo se deu conta, já estava nos palcos dos grandes eventos de Manaus, realizando pré e pós-show para grandes nomes da música nacional, como Zeca Pagodinho, Raça Negra, Jorge Aragão, Jeito Moleque, Arlindo Cruz, entre outros.

Segundo a diretora de comunicação e marketing da Casa Vhida, Iêda Carvalho, a live solidária representa uma importante ajuda para a manutenção do trabalho realizado pela instituição. “Será uma noite animada! Todos estão convidados para prestigiar e trazer alegria para as crianças e adolescentes da Casa Vhida!”, afirma.

Localizada na Rua Pedro Álvares Cabral, 395, bairro Dom Pedro, a Casa Vhida sobrevive por meio do apoio de voluntários e funcionários que procuram, através da realização de eventos sociais e parcerias com empresas, conseguir recursos para manter a instituição.

Hoje, mais de 1.600 crianças e adolescentes são beneficiados com o trabalho desenvolvido pela Casa Vhida, desde bebês expostos, que são nascidos de mães com o HIV positivo, crianças, até adolescentes que já convivem com o vírus, além das crianças e adolescentes que possuem o vírus e, por viverem em situação de vulnerabilidade social, passaram a residir na casa para receberem o tratamento adequado.