Kiko Zambiach em quatro toques

De passagem por Manaus, cantor Kiko Zambiachi conversou sobre a carreira da filha, o flerte com outros gêneros musicais, entre outros assuntos

Manaus – Com uma agenda recheada de shows pelo Brasil e projetos paralelos significativos, o cantor e compositor Kiko Zambiachi passou pela capital amazonense, na noite de ontem (29), onde se apresentou como atração principal do quarto aniversário do Shopping Ponta Negra.

Kiko assina grandes sucessos do rock, como ‘Tempo Perdido’, do Legião Urbana (Foto: Divulgação)

Em entrevista ao PLUS, ele, que trouxe a Manaus seus principais sucessos, como ‘Primeiros Erros’, gravado pela banda Capital Inicial, e ‘Tempo Perdido’, gravado pelo Legião Urbana, conversou sobre a carreira, projetos em andamento e a carreira da filha — que tem trilhado o mesmo caminho. Kiko saiu, aos 22 anos, de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, para tentar a vida de músico na capital paulista.

KIKO ZAMBIACHI – Cantor, compositor e músico

O que você diria para as bandas ou artistas daqui que buscam carreira no Sudeste?

Que persistam, ensaiem bastante, toquem, componham de tudo, preparem sua autocrítica para levar só o que você tem de melhor. Tem gente do Brasil inteiro indo pra lá fazer a mesma coisa, você precisa estar maduro.

O que você tem escutado, atualmente?

Gosto de Cachorro Grande, também acho aquele rapper Rincon Sapiência muito bom. Passo mais tempo escutando o que eu estou produzindo, também. Atualmente, é o EP da minha filha, Maria Júlia, que deve sair no final do ano. Ela canta MPB e tem me surpreendido bastante. As letras estão muito maduras, algumas gravadoras já se interessaram, inclusive.

Ser filha de um grande compositor brasileiro ajuda?

Na verdade, acho até que atrapalha, as pessoas gostam de ficar comparando. Ela nem assina com meu sobrenome, se apresenta como ‘Maria Júlia’ mesmo.

Você tem transitado por outros universos, além do rock, com o qual estava acostumado. Como tem sido isso?

Isso começou em 2004, com o Disco D, um produtor de Nova Iorque com quem trabalhei pro canal VH1, produzindo as músicas da premiação ‘Hip Hop Honors’. Infelizmente, ele faleceu, mas foi um trabalho muito significante.

Anúncio