Marília Mendonça reclamou que prefeituras não aceitavam shows gratuitos; veja posts

Após polêmicas envolvendo pagamentos de shows de cantores sertanejo, seguidores relembraram tuítes da cantora sobre dificuldades em realizar eventos gratuitos

Manaus –  Em meio às polêmicas de investigação de shows sertanejos pelo país, seguidores relembraram que a cantora Marília Mendonça, morta em acidente de avião em novembro de 2021, já havia comentado sobre as verbas de prefeituras de cidades do interior, em 2019, nas suas redes sociais.

Nas publicações, Marília explicou que as prefeituras não aceitavam shows gratuitos.

“O projeto Todos os Cantos é feito todo de boas intenções, pena que não é valorizado por quem mais deveria valorizar: os próprios líderes da cidade e de estado, que têm sua casa exposta e valorizada para o mundo todo e sem incentivozinho, hein? Difícil!”, disse em um tuíte. “Se estivéssemos pedindo dinheiro, eu entenderia. Agora: ‘Ei, quero valorizar o turismo na sua cidade, trazendo um show grátis para a sua população, posso?’. Porta na cara! Não fazem e não deixam que façam! Ok… Aqui a luta não para”, completou.

Veja publicações:

Polêmica

A contratação de artistas com dinheiro público virou tema de debate nas redes sociais desde que Zé Neto, da dupla com Cristiano, citou uma tatuagem íntima de Anitta e criticou cantores que recebem recursos da Lei Rouanet. A polêmica passou a envolver outros famosos do universo sertanejo e chegou até Gusttavo Lima.

Os holofotes dessa polêmica, porém, estão em Gusttavo Lima, devido os cachês com valores altos de seus shows. No dia 25 de maio, o Ministério Público de Roraima instaurou um inquérito para investigar a contratação de um show do cantor no valor de R$ 800 mil pela Prefeitura de São Luiz. Outros dois shows do cantor, em Conceição de Mato Dentro (MG) e Magé (RJ) também se tornaram alvo de investigações do Ministério Público desses estados.

Anúncio