‘Retrato que alimenta’, do fotógrafo Diego Pérez, propõe uma experiência com caráter social

Ao todo já foram realizados dez ensaios com sete famílias de Manaus e três de Parintins

Manaus – Usar a fotografia como uma ferramenta para aproximar as pessoas e eternizar momentos especiais na memória afetiva de muitas famílias é a proposta do mais novo projeto do fotógrafo amazonense Diego Pérez, intitulado ‘Retrato que alimenta’ e que teve início no dia 25 de maio.

(Foto: Diego Pérez)

De acordo com Diego neste período de guerra e incertezas e na luta contra um inimigo invisível optou por usar a inteligência e criatividade para driblar o momento e oferecer um ensaio fotográfico diferente, seguindo todas as recomendações de limites de segurança e distanciamento e propondo uma experiência inesquecível que, além de possuir um caráter social, vai ficar registrada quando tudo isso passar.

O projeto nasceu durante o período de quarentena em que Diego aproveitou o tempo para estudar fotografia e desenvolver e realizar um ensaio fotográfico composto por fotos feitas à distância e pelo celular, utilizando o FaceTime como recurso, tecnologia até então ignorada e não bem vista pelo profissional.

“Aproveitei esse período em casa para me dedicar aos estudos e resolvi então fazer algo novo. Um ensaio de moda usando algo que não acreditava e o resultado ficou muito bom e superou minhas expectativas.No entanto, depois de concluído parei para pensar, o que eu estava fazendo para ajudar o próximo. O ensaio era legal, mas poderia fazer algo mais”, relembra Diego.

Fotografia social

Depois disso, Péres, que também é publicitário seguiu sua intuição e apostou na ideia de um fotógrafo pernambucano que realiza ensaios fotográficos com famílias à distância e cobra valores simbólicos para compra de cestas básicas que são posteriormente distribuídas para famílias de baixa renda. “Usei o trabalho dele como referência e essa foi a forma que eu encontrei de contribuir de forma efetiva com a sociedade em um momento que todos precisam e ajuda e devem se unir. E esse trabalho é muito importante para mim”, afirma Diego.

O fotógrafo explica que o projeto consiste no registro fotográfico na frente da casa das respectivas famílias, ou usando as janelas ou sacadas, escadas e retratando um almoço, um lanche, uma brincadeira com os animais da casa e o que a imaginação sugerir naquele momento. “Um bom retrato de família é capaz de despertar muito sentimentos que nos fortalecem e nos unem cada vez mais”, avalia Peres.

Ao todo já foram realizados dez ensaios e sete famílias de Manaus e três de Parintins foram beneficiadas com as cestas básicas. A ideia nesta fase final dos ensaios é realizar uma grande doação para uma instituição que ainda está sendo escolhida.

“Tenho uma sensação de cansaço e de felicidade por ter dado início a essa iniciativa que com certeza não vai parar por aqui. Escolhi sete famílias que realmente estavam precisando e as outras três foram de outro município em que estive a trabalho e aproveitei para fazer as doações. Ainda não sei onde esse projeto vai me levar, mas acredito que muitas coisas boas estão vindo ainda, não existe nada mais gratificante do que fazer o bem e ajudar o próximo fazendo aquilo que gosta”, conclui.

Anúncio