Saúde do homem na pauta do ‘Novembro Azul’

Campanha busca informar homens sobre a importância de acompanhamentos preventivos

Manaus – Para o urologista Cristiano Paiva, o homem precisa de uma motivação para cuidar da saúde, diferente das mulheres que são doutrinadas para se cuidar. A campanha mundial do Novembro Azul teve início na Austrália e se propagou pelo mundo inteiro. Atualmente, os homens têm algumas grandes preocupações quando o assunto é saúde, são eles: doenças cardiovasculares, infarto, AVC, hipertensão, diabetes, e a segunda, o temido câncer de próstata, este último o mais agressivo.

Aproximadamente, no Brasil, até o fim do ano, 85.940 novos casos de câncer de próstata serão registrados, revela Cristiano Paiva, com uma mortalidade de 15 mil óbitos causados pela doença. É uma realidade impactante. Se distribuído esse número na população brasileira, um em cada nove homens vai ter câncer de próstata, ressalta o urologista.

Segundo Cristiano Paiva, o pico de incidência entre os homens do câncer de próstata está entre os 60 e 65 anos, entretanto, a Sociedade Brasileira de Urologia e a Sociedade Americana de Urologia, preconizam que as pessoas com fator de risco, como histórico de câncer de próstata na família, serem da raça negra ou estarem acima do peso, devem iniciar o tratamento preventivo aos 45 anos, aconselha o médico. Já os homens sem nenhum dos riscos citados, devem iniciar aos 50 anos de idade.

Cristiano Paiva chama a atenção dos homens para a andropausa, fenômeno que inicia aos 40 anos, que consiste na falência hormonal, que geralmente necessita de reposição de hormônio.

Atualmente, a cirurgia robótica é considerada pelos urologistas a maior revolução no tratamento do câncer de próstata, o robô mais moderno do país foi batizado de Da Vinci e opera com quatro braços mecânicos, nos Estados Unidos, o robô mais moderno foi lançado em 2018. Lá ele foi batizado de Da Vinci Single Port, tornando a cirurgia menos invasiva, explica Cristiano Paiva.

Com referencia ao aumento da próstata, outro problema que os homens enfrentam, apesar de não ser uma patologia maligna, também teve nos ultimo anos avanços significativos no tratamento. A embolização prostática, técnica desenvolvida por Carnevalle, de São Paulo, do qual Cristiano Paiva faz parte de sua equipe, tem restaurada a saúde e bem estar de pacientes que desenvolvem esse aumento da próstata. Laser preciso, tecnologias a base de plasma, bisturis bipolares avançados, que permitem fazer uma cirurgia de próstata, ocasionando o bem estar do paciente. Técnica já desenvolvida na cidade de Manaus, com todos os instrumentos necessários para os procedimentos.

A falta de conhecimento, associada ao preconceito dos homens em aceitar o exame do toque ainda são barreiras para a saúde do homem, diz o urologista Cristiano Paiva, para ele, o acesso ao especialista também tem sido um fator que colabora para o aumento dos casos de câncer da próstata. Outro temor, registrado pelos médicos, é o medo da possibilidade do homem perder a potencia sexual, algo que o tratamento tem avançado na sua proteção, afirma o medico urologista. A identificação da patologia do paciente é o que vai determinar o procedimento, um exemplo é o tratamento do crescimento benigno da próstata, pois na maioria das vezes a cirurgia é realizada pelo canal da urina, longe dos nervos da ereção, tranquiliza o médico.

No caso mais complexo como o câncer de próstata, onde é necessária a remoção da glândula prostática, o robô auxilia na preservação dos nervos da ereção, com a precisão robótica enviando imagens em 3D para o cirurgião. Realidade da medicina moderna na intervenção cirúrgica do câncer de próstata, com o auxilio da robótica, na preservação da saúde do paciente, onde a máquina amplifica o talento do cirurgião, destaca Cristiano Paiva.

Para o Novembro Azul, visitar o urologista, aproveitar também para checar a glicose, pressão arterial, colesterol, triglicerídeos, funções renais e a dosagem de hormônios, são os conselhos mais relevantes do medico urologista.

PREVENÇÃO:
Evitar o sedentarismo, obesidade, consumo excessivo de álcool, gordura animal, açúcar e o tabagismo.

Anúncio