Sereias amazônidas nos muros da cidade

Arte retrata beleza natural feminina exposta nos muros da cidade

Manaus – Pensando na retratação da beleza natural feminina, a artista Deborah Erê, expõe sua arte nos muros da cidade, por meio do grafite. Natural de São Caetano do Sul, em São Paulo, a artista mora há seis anos em Manaus e já possui sua arte estampada em todas as zonas da capital amazonense.

“Me inspiro em mulheres ‘reais’, e não uma idealização de como a mulher deveria ser pra ser considerada bonita” (Foto: Acervo pessoal)

Um dos últimos projetos idealizados veio, por meio de um convite para expressar sua arte representada por sereias amazônicas, em comemoração aos 350 anos de Manaus. Ela diz que a inspiração veio das mulheres reais que participaram de sua formação. “A inspiração surgiu em 2014, quando observei as mulheres mais velhas que eu, minhas avós, professoras, mãe, e todas me transmitiram conhecimento, sabedoria, por meio da convivência e dos ensinamentos”, explicou.

A arte exposta no muro ao lado de um centro comercial, ficou empatada em 1º lugar no concurso de melhor representação dos 350 anos de Manaus, recebendo mais de 10 mil votos do público.

Inspiração na ‘impefeição’

A obra destaca que ‘nas imperfeições há perfeição’. Para Deborah, o importante é mostrar a luta das mulheres que estão em múltiplas funções, como maternidade, empregos, cuidando de suas famílias e outras pessoas. “Me inspiro em mulheres ‘reais’, e não uma idealização de como a mulher deveria ser pra ser considerada bonita – que geralmente é posto como uma meta inatingível e inumana, como cílios enormes, não ter celulites e estrias, não ter gorduras, rugas… Isso tudo é contra a natureza do nosso corpo”, ressalta.

blank

“Muitas mulheres vieram relatar que se sentem representadas pelos meus graffites” (Foto: Acervo pessoal)

Traços lúdicos

Os traços das sereias, são criados por Deborah Erê, vislumbrando o lúdico, mexendo com a imaginação do público, despertando discussões, sentimentos e ideias reais. “Muitas mulheres vieram relatar que se sentem representadas pelos meus graffites, tanto durante o momento da pintura, quanto depois. A verdade é que os impactos não são mensuráveis, por ser algo muito sensível e que não pode ser contabilizado e, muitas vezes, nem registrado”, comentou.

Deborah criou artes personalizadas para camisetas, quadros e tatuagens. “Sou tatuadora também e, desde que iniciei nesta arte os clientes, tanto mulher quanto homem, solicitam que eu crie artes exclusivas de sereias, às vezes transformando alguém que admira em sereia, às vezes solicitando até mesmo uma sereia inspirada em si mesma”, relata.

blank

“Todos os meus trabalhos carregam minhas ideologias, destacando e enaltecendo o que acho importante” (Foto: Acervo pessoal)

Artes nos muros

Os grafites de Deborah podem ser vistos no viaduto da Avenida das Flores, no bairro Cidade Nova, outro no viaduto da Avenida Constantino Nery com a Boulevard, no bairro Aparecida, em outras áreas da cidade e estados brasileiros.

De acordo com a artista, as marcam nas paredes, representam o grito feminista. “O grafite é uma arte política, que deixa pública uma opinião, ideologia e mensagem. E eu, como ativista não só do feminismo, quanto de outras lutas, me posiciono na minha arte – às vezes de forma bem sutil, às vezes mais escancarada. Todos os meus trabalhos carregam minhas ideologias, destacando e enaltecendo o que acho importante”, conclui.

Anúncio