Show virtual é realizado nos 13 anos de Alaídenegão

Gravado no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, o show estará aberto no dia 30 de maio, quando a banda amazonense lança nas plataformas de streaming em parceria com a ONErpm

Manaus – O show de 13 anos de carreira da Alaídenegão, gravado no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, entra na programação no dia 30 de maio, quando a banda amazonense lança novo produto nas plataformas de streaming, numa parceria com a ONErpm, ferramenta voltada para a distribuição digital de músicas. A apresentação vai ficar disponível no canal da Cauxi Produções no Youtube enquanto o acesso ao áudio pode ser pelo Spotify, Tidal, Apple Music e Deezer.

O projeto comemorativo foi contemplado no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc.

A apresentação ficará no canal da Cauxi Produções no Youtube (Foto: Michael Dantas/ Divulgação)

Segundo o guitarrista Rafael Ângelo, o show ‘Alaídenegão 13 Anos’ tem, no roteiro, composições do grupo desde o início, em 2008, até o último CD, lançado em fevereiro deste ano, com o título ‘Cantos da Beira’. Ele destaca que a apresentação traz a participação de convidados, como Márcia Novo, Marcelo Nakamura, Clóvis Rodrigues, da Tucumanus; Milton, da Cabocrioulo; e Neuber Uchôa, de Roraima.

“Sempre foi um desejo da banda fazer o registro de um show ao vivo e colocar esse novo produto artístico no mercado representa contar boa parte de uma trajetória que materializou nossas criações, crenças e a vontade de trabalhar com a cultura, pois sabemos de seu valor em um País tão desigual”, afirma o músico.

Rafael Ângelo explica que a escolha pelo Centro Cultural dos Povos da Amazônia como palco do show se deve a proposta da banda que tem a pesquisa musical como uma das principais características.
“O espaço é muito significativo na realização deste projeto, porque somos parte dos povos que compõem o mosaico cultural da Amazônia. Outro ponto é que, assim como ocorre com as populações originárias, nosso trabalho tem o caráter e a assinatura do coletivo, ou seja, a diversidade de ideias e concepções sobre a música e o mundo”, comenta o artista.

Público

O vocalista e guitarrista Davi Escobar conta que o show, gravado em 3 de dezembro de 2020, teve a participação do público, em número reduzido por conta da pandemia, no Espaço Rio Amazonas, onde fica a exposição ‘Os Filhos da Nossa Terra’ sob uma cúpula confeccionada em fibra de arumã e com estátuas assinadas pelo artista plástico Felipe Lettersten, numa homenagem a povos distintos do continente americano. Conforme o cantor, a gravação cumpriu todos os protocolos de segurança em prevenção a pandemia da Covid-19, como distanciamento social, uso obrigatório de máscaras e totens de álcool em gel em pontos estratégicos.

Anúncio