Triciclo: veículo aprovado pelos turistas no Festival Folclórico de Parintins

Pesquisas da Amazonasturapontaram que turistas aprovaram a criação ‘pávula’ da ilha

Manaus – Em 1995, o detetive e mecânico de bicicletas, Valdenor Queiroz, 73, não imaginava que a sua “engenhoca”, o triciclo, virasse o principal meio de mobilidade do visitante na Ilha Tupinambarana (a 369 quilômetros a leste de Manaus). Queiroz é um dos pioneiros na criação do veículo sustentável que é o segundo item mais bem avaliado na pesquisa de satisfação realizada com os turistas que vão assistir aos espetáculos do Festival Folclórico de Parintins.

“Não ganhei dinheiro, mas estou feliz, porque beneficiei mais de 10 mil pessoas em Parintins, no sustento de cada dia deles. Agora, qualquer oficina produz o triciclo. Eu não me importei em passar as medidas. É uma glória poder ter ajudado esse povo maravilhoso da minha terra”, disse Valdenor.

(Foto: Divulgação/Amazonastur)

Pesquisas da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) apontaram que, no Festival de 2018, 93,14% dos turistas aprovaram a criação mais “pávula” da ilha. O veículo apareceu na pesquisa como o meio de transporte mais utilizado no período das festas bovinas, alcançando percentual de 45,64%. A média total de satisfação com o item no período de 2010 a 2018 também foi a segunda maior, com 87,32%.

‘Tricicleiro Pai d’égua’

A Amazonastur promoveu duas etapas do Workshop Bem Receber, capacitando 200 tricicleiros e padronizando os profissionais com fardamento e pintura dos veículos em acordo com o festival, além de uma placa de ‘Tricicleiro Pai D’Égua’.

Para o presidente da Associação dos Tricicleiros Turísticos de Parintins (ATTP), Rafael Gonçalves, a iniciativa do Governo do Estado, por meio da Amazonastur, contribui para um melhor tratamento ao turista.

Valdenor Queiroz não imaginava que a “engenhoca” virasse o principal meio de transporte do visitante (Foto: Divulgação/Amazonastur)

“Precisamos estar capacitado e organizado para receber as pessoas que visitam a nossa ilha. A cultura não é só o Boi-Bumbá. O visitante vem também para andar no triciclo e conhecer a nossa cultura popular. Triciclo só tem em Parintins. É uma coisa agradável de andar. Os índices de aprovação nos motivam cada vez mais a nos organizarmos”, disse.

Tricicleiro há 20 anos, Josevandro Guimarães, 39, disse que o curso deu base para a categoria bem receber o turista em Parintins. “A gente prende a trabalhar com o turismo”, declarou o profissional. “Aprendemos como chegar junto ao turista, a informar sobre os atrativos”.