VÍDEO: filho fala do cheiro da axila da mãe e viraliza: ‘Tá fedorento’

Influenciadora Laís Brito compartilhou o momento engraçado com o filho Dudu, de 3 anos, nas redes sociais

São Paulo – A influenciadora Laís Brito fez os seguidores rirem com o registro de um momento com seu filho do meio, o Dudu, de apenas 3 anos. O motivo foi a sinceridade da criança ao dizer que a mãe estava com mau cheiro nas axilas. A produtora de conteúdo mostrou o momento em que ambos estavam deitados na cama e o pequeno aproveitou para dar um toque na mamãe, e o vídeo viralizou.

(Foto: Reprodução Instagram @laisbritoc)

Sem muitos rodeios, Dudu foi enfático: “Eu não gosto quando seu ‘sovaco’ fica fedorento!”. Mesmo surpresa, Laís segurou a risada e brincou com o pequeno: “O meu sovaco está fedorento? Cheira de novo para ter certeza”, disse, bem-humorada.

A influenciadora, que está no puerpério após o nascimento de seu terceiro filho, Artur, compartilhou que outras mães e puérperas a enviaram mensagens contando que já viveram ou ainda vivenciam a mesma situação após dar à luz. Entretanto, Laís só notou isso agora, na terceira gravidez, após a fala de Dudu.

Segundo o ginecologista Dr. César Patez, isso é normal, pois, durante a gravidez, ocorre uma oscilação hormonal muito grande de estrogênio e, principalmente, de progesterona. Isso afeta diretamente as glândulas sudoríparas, que passam a ser mais ativas e, ainda após o parto, essa desregulação permanece.

“É comum que puérperas fiquem com um odor maior nas axilas. Durante este período, ocorrem as mudanças hormonais, juntamente com o estresse físico da gravidez e do parto, e estes fatores podem influenciar no funcionamento das glândulas sudoríparas, resultando no aumento na transpiração”, diz o obstetra.

O dermatologista Matheus Kasai dá três dicas para ajudar as mamães a lidarem com essa situação. Segundo o médico, a temperatura do corpo sobe durante a gestação e, como resposta, o suor é produzido para proporcionar o seu resfriamento. “Algumas formas de aliviar esse sintoma é o uso de antitranspirantes e desodorantes. Entretanto, é aconselhável que as mulheres evitem alguns produtos que possuem em sua composição ureia, álcool e alumínio”, explica.

Matheus continua, indicando o uso de peças de roupas mais folgadas e/ou com tecidos mais leves, como algodão, e é categórico: “Nada de tecido sintético!”. Para finalizar, o profissional aconselha que as puérperas optem por sabonetes antissépticos durante os banhos (que devem ser diários).

Anúncio