Acusado de mandar matar cantor da ‘Júnior e Banda’ confessa crime: “Estou muito arrependido”

“Eu peço desculpas à família. Ele foi morto por engano. Não vou pedi perdão porque só quem pode perdoar é Deus”, disse homem apontado como mentor da morte do cantor Melvino de Jesus Júnior, morto em abril deste ano

Carla Albuquerque / [email protected]

‘Mistério’ foi apresentado, na manhã desta quinta-feira, na sede da DEHS (Foto: Carla Albuquerque/Divulgação)

Manaus – “Eu peço desculpas à família. Ele foi morto por engano. Não vou pedi perdão porque só quem pode perdoar é Deus”. A declaração é de Evenilson de Oliveira Ferreira, 19, o ‘Mistério’, preso pela Polícia Civil (PC) e apontado como o mandante do assassinato que resultou na morte do cantor Melvino de Jesus Júnior, morto em abril deste ano, em Codajás (a 240 quilômetros de Manaus). Outros três envolvidos no crime seguem foragidos.

Mistério foi apresentado, na manhã desta quinta-feira (15), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). De acordo com o delegado Juan Valério, o suspeito disse à polícia que, junto com Marcos Ribeiro Ramos, o ‘Marquinhos’, contratou outros cinco suspeitos, três deles já presos, para executar um traficante da cidade de Coari, identificado como ‘Vitão’.

De acordo com o delegado, Mistério sustenta a tese que Júnior, que era vocalista da banda musical ‘Junior e Banda’, foi morto ao ser confundido com o traficante. Evenilson foi preso em Manaus, enquanto transitava em um carro, na Avenida Ephigenio Sales, na zona sul.

Na manhã desta quinta-feira, ‘Mistério’ ao ver familiares do cantor pediu desculpas e se disse arrependido. “Não era ele (Junior) para ser morto e sim o outro (Vitão). Quero aqui pedir desculpas a família. Estou muito arrependido”, alegou o preso.

Com a prisão de Mistério, ainda faltam a ser presos: Marcos Ribeiro Ramos, conhecido como ‘Marquinhos’, Josinei Oliveira Lavareda, o ‘Dentinho’, e Fábio Barbosa de Souza, o ‘Indio’, que também está envolvido na morte do soldado Paulo Sérgio da Silva Portilho, encontrado morto em uma invasão, na zona norte de Manaus, em maio deste ano.

blank

Polícia ainda procura por três suspeitos do crime (Fotos: Divulgação)

Anúncio