Após matar Julieta Hernandez, mulher publicou foto usando roupa da artista

Polícia revelou que a imagem abriu suspeita do casal que recebeu a artista na pousada

Manaus – A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), revelou que uma pista curiosa que levou a investigação a chegar até o casal que assassinanou brutalmente Julieta  Hernandez, de 38 anos, no município Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros ao norte de Manaus). Os suspeitos, Thiago Agles da Silva, 32, e Deliomara dos Anjos Santos, 29, estão presos.

blank

(Foto: Reprodução)

Após cometer o crime, Deliomara publicou uma foto nas redes sociais utilizando as roupas de Julieta. A imagem pode ter sido a peça-chave para os investigadores desvendarem o assassinato da mulher.

A investigação do caso começou após um boletim de ocorrência ter sido registrado na manhã de quinta-feira (4), relatando o desaparecimento de Julieta. Segundo a Polícia Civil, o boletim informava que o último contato da vítima com a família teria sido na madrugada do dia 23 de dezembro, quando ela teria dito que iria pernoitar em Presidente Figueiredo, e em seguida seguiria para Rorainópolis, em Roraima.

Em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (8), o delegado titular da 37ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Presidente Figueiredo, Valdinei Silva, disse que diante da informação do trajeto da artista, foram realizadas buscas em pousadas da região para obter notícias sobre o paradeiro de Juliana.

“Já na manhã de sexta-feira (5), fomos até o refúgio e localizamos Thiago, que disse que a mulher havia pernoitado no local e seguido para a rodovia”, relatou o delegado.

De acordo com Valdinei Silva, no mesmo dia um morador localizou partes da bicicleta da artista e acionou a polícia. Após a chegada da polícia ao local, Thiago tentou fugir, mas foi capturado. Ele e a companheira foram conduzidos à delegacia. Durante os depoimentos entraram em contradições, até confirmarem a autoria do crime.

“A vítima estava dormindo em uma rede na varanda do local, quando Thiago pegou uma faca e foi até ela para roubar seu aparelho celular. Eles entraram em luta corporal, ele a enforcou, a jogou no chão e pediu que Deliomara amarrasse os pés dela. Em seguida, ele a arrastou para dentro da casa, pediu que a esposa apagasse as luzes e passou a abusar sexualmente da vítima”, detalhou o delegado.

O delegado disse que após Deliomara ter visto a cena, jogou álcool e ateou fogo nos dois. Thiago conseguiu apagar o fogo com um pano molhado e foi até uma unidade hospitalar receber atendimento médico.

Julieta foi enforcada com uma corda e teve seu corpo enterrado em uma cova rasa nas proximidades do local onde estava.

A artista levava a arte como uma trajetória de vida e viajava para diversos lugares no Brasil com um único objetivo: alegrar a vida das pessoas de comunidades interioranas e periféricas.

Anúncio