Covardia! Câmeras flagram padrasto agredindo menino de 4 anos; veja vídeo

A mãe da criança relatou que o homem praticava boxe e treinava batendo nela; ela afirmou que não sabia das agressões contra o filho

Rio de Janeiro – Victor Arthur Possobom, 32, foi flagrado pelo circuito de segurança do prédio onde mora agredindo e sufocando seu enteado, um menino de 4 anos. O caso aconteceu em fevereiro deste ano um condomínio residencial que fica na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, mas somente agora as imagens foram divulgadas.

(Foto: Reprodução)

As agressões ocorrem em dois momentos durante a gravação. Primeiro sentado em um sofá no saguão do condomínio, o homem parece xingar a criança e em seguida, após checar se não tem ninguém olhando, dá dois socos no rosto do menino. Depois, em outro momento, já dentro do elevador, o homem segura boca e o nariz do menino, sufocando a vítima.

Segundo informações do portal UOL, a mãe informou à polícia que não sabia das agressões.

“Eu soube depois de ver as imagens de segurança. O síndico do prédio que fez a denúncia no Conselho Tutelar e na delegacia. Meu filho foi morar com o avô, eu tentei sair de casa, mas ele não deixou”, disse a mulher.

A mãe da criança disse ainda que o homem já tinha um comportamento agressivo.

“Durante o período que ele me manteve presa no apartamento, ele me agrediu, abusou de mim. Eu cheguei a engravidar e perdi um filho por conta das agressões. Ele já tinha um comportamento agressivo comigo, mas nunca imaginei que com meu filho também”.

Ainda segundo o UOL, a mulher chegou a relatar o homem praticava boxe e treinava batendo nela. “Ele chegou a usar luvas de boxe, pedia para eu ficar parada e me batia na barriga, no rosto.

Além das agressões físicas o homem ainda teria estuprado a mulher.

“Ele me estuprou, fui abusada, tanto é que engravidei, mas por causa das agressões eu sofri um aborto. Fui pro hospital e fiquei sendo vigiada para não falar pra ninguém o que estava acontecendo. Na casa pra onde ele me levou, ficava me ameaçando para eu não contar nada pra ninguém. Não consigo acreditar que passei por tudo isso”, relatou a mulher.

Segundo a polícia, o caso está em sendo investigado com testemunhas ainda sendo ouvidas.

Veja o vídeo:

Anúncio