Empresa é denunciada por estelionato após deixar de repassar pagamento de empréstimos

A empresa atua na área financeira e oferece vantagens em cima de empréstimos realizados pelos clientes

Manaus – Na tarde desta segunda-feira (3), vários funcionários públicos e aposentados foram até o 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP) denunciar a empresa Lotus Corporate, que atua na área financeira e oferece vantagens em cima de empréstimos realizados pelos clientes, por suspeita de estelionato. A empresa fica localizada na rua Rio Iça, no Vieiralves, Edifício Lotus Bussines Center.

De acordo com as informações repassadas pela Polícia Militar do Amazonas, por meio da 12° Companhia Interativa Comunitária (CICOM), o dinheiro que era descontado, todos os meses, das contas das vítimas deixou de ser repassado para saldar a conta que eles deviam.

Entre as vítimas, estão inclusos, professores, Policiais Militares, Policiais Civis, Aposentados, Pensionistas e concursados estadual, Federal e municipal.

A polícia informou que o esquema funcionava a partir do momento em que consultores da empresa ligavam para os funcionários oferecendo a vantagem de 10% em cima de um empréstimo no qual ele conseguia aderir pelo score através de seu banco. No momento em que as pessoas aceitavam a proposta, um contrato era fechado e quem passaria a quitar o empréstimo feito, seria o próprio grupo Lotus.

No entanto, apos algum tempo o retorno que a empresa ofereceu parou de chegar até as vítimas, mesmo com os pagamentos do empréstimo sendo descontados de suas contas bancárias.

Após procurar a empresa, a reposta que as vítimas receberam é de que a mesma estava com problemas no setor financeiro e, por essa razão, não estava conseguindo pagar o que prometeu em contrato.

Com a denúncia, a polícia levou vários funcionários e a gerente do local, identificada como Naara Normando, até o 1° DIP para prestar esclarecimentos. Os advogados da mulher informaram que os donos da empresa ainda não se manifestaram e se recusam atender ligações da gerente.

O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Anúncio