Ex-servidor da Funai é preso por estuprar adolescentes e mulheres no AM

Ele cobrava favores sexuais em troca de ajuda para as mulheres obterem benefícios sociais

Manaus – O ex-servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai) e presidente de uma organização indígena, Gilmar Palheta Assunção, foi preso pela Polícia Federal nesta quarta-feira (20), suspeito de estuprar adolescentes e mulheres de comunidades indígenas no município de Nova Olinda do Norte (a 135 quilômetros a sudeste de Manaus). Ele cobrava favores sexuais em troca de ajuda para as mulheres obterem benefícios sociais.

(Foto: Divulgação PF)

De acordo com a PF, Gilmar Palheta trabalhou na Funai por dez anos e, durante esse período, ele abusou de adolescentes e mulheres em troca de ajuda em processos de aposentadoria, benefícios sociais, abertura de conta bancária e até para corrigir dados cadastrais em órgãos públicos. O homem foi exonerado do órgão após as primeiras denúncias, em setembro de 2023. Segundo a investigação, pelo menos 20 pessoas podem ter sido vítimas do ex-servidor.

Gilmar Palheta foi declarado indígena Munduruku. Ele também é registrado na Secretaria de Educação do Estado do Amazonas (Seduc).

Anúncio