Jovem é preso suspeito de tentar estuprar mulher em canoa, no Careiro da Várzea

Segundo a polícia, Erikyson Florencio da Rocha, 18, estava com uma espingarda de calibre 20 e mandou a mulher entrar no barco onde ele estava para que pudesse estuprá-la

Manaus – A Polícia Civil apresentou, na tarde desta sexta-feira (20), a prisão de Erikyson Florencio da Rocha, 18, suspeito de tentar estuprar uma mulher em uma canoa, na comunidade Curari, em Careiro da Várzea (a 25 quilômetros a leste de Manaus). O jovem foi preso em sala de aula.

Segundo a polícia, Erikyson Florencio da Rocha, 18, estava com uma espingarda de calibre 20. (Foto: Jimmy Geber)

A mulher, de 27 anos, estava com o marido, de 29 anos, e o sogro, de 69 anos, no dia 12 de maio deste ano, quando Erikyson se aproximou deles, em outra canoa, segundo informou o delegado David Jordão, titular do 35ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP).

Segundo o delegado, Erikyson estava com uma espingarda de calibre 20 e mandou a mulher entrar no barco onde ele estava para que pudesse estuprá-la. O delegado afirmou que o homem a puxou pelos cabelos e o sogro da mulher passou mal.

Com a atuação imprevista, Erikyson se distraiu e os três conseguiram fugir na canoa para a beira do rio e fugir. À imprensa, Erikyson disse que estava bêbado no momento do ocorrido e que lembra apenas de ter se aproximado da canoa onde estava a mulher. “Eu tava (bêbado). Não lembro”, afirmou Erikyson.

Apesar da negativa do preso, o delegado afirmou que os depoimentos concedidos pelas vítimas foram contundentes. “Toda a comunidade sabia dessa tentativa de estupro”, disse o delegado.

A prisão ocorreu dentro da sala de aula da escola estadual onde Erikyson estuda, segundo David. A equipe da Polícia Civil de Careiro da Várzea já investigava o jovem após receber denúncias de que Erikyson estava vendendo droga dentro da escola estadual da cidade.

O jovem ameaçava quem o denunciasse. “Ele falava em alto e bom tom que tinha envolvimento com droga e que não era para mexer com ele, senão ia matar toda a família”, afirmou David, acrescentando que Erikyson era uma pessoa conhecida e temida na comunidade.

Durante a prisão, os policiais civis apreenderam um cigarro de maconha. Na casa onde o jovem morava, os policiais apreenderam a espingarda calibre 20 que o delegado acredita ser a arma usada no crime. A apreensão da arma ocorreu em cumprimento a um mandado de busca e apreensão. O jovem disse que a espingarda é do avô.

De acordo com Jordão, Erikyson foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pela juíza de Direito Fabiola de Souza Bastos Silva, da Comarca de Careiro da Várzea, no dia 20 de junho deste ano.

O jovem foi indiciado por tentativa de estupro, ameaça e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. O delegado afirmou ter aberto um Inquérito Policial para investigar sobre o crime de tráfico de droga a que Erikyson é suspeito. Ele ficará preso na 35ª DIP.

Anúncio