Mãe se desespera ao encontrar filha morta em igarapé de Manaus; veja vídeo

A criança estava desaparecida desde domingo (1º)

Manaus – O corpo da criança Alana Raquel Pereira da Costa de 2 anos que estava desaparecida desde domingo (1º) no final da rua Pôr do Sol, comunidade da Fé, bairro Colônia Antônio Aleixo, zona leste de Manaus, foi encontrado na manhã desta segunda-feira (2) por moradores dentro de um igarapé no mesmo bairro.

(Foto: Reprodução)

Maria da Fé, avó da menina, disse que a criança estava brincando por volta das 17h em frente a sua residência, no final da rua Pôr do Sol, quando desapareceu. Ela contou ainda que ao perceberam que a menina não estava mais em frente à casa, saíram para procurá-lá. Logo em seguida a mulher chamou a sua nora e perguntou se a menina estava com ela. Ao ouvir o ‘não’ como resposta, ficou desnorteada e começou a chamar todos da família para procurá-lá.

“Eu perguntei e eles não sabiam onde ela estava. A gente saiu para procurar e nada da menina aparecer. Os vizinhos e todo mundo da comunidade se juntou e não achou ela de jeito nenhum”, disse a avó.

Seu Arinaldo, pai da criança, afirmou que desde o desaparecimento, eles entraram em contato com a corporação e também com os Policiais da 28° Companhia Interativa Comunitária (CICOM) que informaram que, só poderiam ir até o local, partir das 9 horas da manhã desta segunda.

“Nós ligamos desde que a menina desapareceu a gente entrou em contato, mas eles disseram que não poderiam vir. Ligamos para corporação e disseram que só poderiam fazer as buscas a partir das 9h de hoje”, disse ele.

O corpo de Alana foi encontrado por uma moradora, por volta de 6h desta segunda-feira.

A família informou à Polícia Civil que a criança nunca ia naquele lugar, nem acompanhada de crianças maiores. Por conta disto, o perito Criminal Adisson de Jesus, informou que alguns exames serão feitos para saber se a menina sofreu abuso antes de ser levada até o local.

“Como a mãe disse para gente que ela nunca vinha aqui sozinha porque era muito pequena e por ter desaparecido do nada, a gente vai investigar melhor e fazer alguns exames para saber se houve algum abuso ou se a morte foi causada por afogamento”.

Alana era filha única do casal.

O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBM-AM) foi acionado para remover o corpo, mas a população já havia tirado da água.

O Instituto Médico Legal (IML) também foi acionado para a remoção do corpo.

Veja vídeo:

 

 

 

Anúncio