Mais de 16 mil metros de cabos de telefonia e internet foram furtados em 2017, em Manaus

Crime gerou prejuízo de cerca R$ 2,9 milhões às empresas. Nesta sexta-feira, dois homens foram presos suspeitos de furtar mais de 60 metros de cabo de fibra óptica

Manaus – Durante o ano de 2017, o furto de cabos de telefonia móvel e de internet gerou o prejuízo de cerca R$ 2,9 milhões às empresas provedoras dos serviços. Foram 31 flagrantes de furtos de cabos de janeiro a dezembro do ano passado, e 16,8 mil metros de cabos furtados. Os dados foram informados pela Polícia Civil (PC) com base em registros da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd).

De acordo com o delegado Adriano Félix, titular da Derfd, ao longo do ano passado foram registrados 345 Boletins de Ocorrência (BOs) de furto de cabos de telefonia móvel e internet. Apenas em janeiro deste ano, foram registradas 37 ocorrências do tipo na delegacia.

Nesta sexta-feira (19), a PC apresentou à imprensa dois homens presos suspeitos de furtar mais de 60 metros de cabo de fibra óptica. Odileno Bezerra de Souza, 29, e Antônio D’Ávila dos Santos, 31, foram presos, respectivamente, na madrugada de quinta-feira (18) e na manhã desta sexta-feira.

Antônio foi preso pelos policiais da Derfd, por volta de 6h, na Avenida Grande Otelo, bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul de Manaus. Com ele, os policiais apreenderam mais de 60 metros de cabos.

Odileno foi preso, durante a madrugada, na Avenida Camapuã, Conjunto Vila Nova, bairro Cidade Nova, zona norte. Ele foi denunciado pela própria empresa prestadora de telefonia móvel. Com ele, os policiais apreenderam outra quantidade de cabos de fibra óptica furtados de uma companhia de internet e telefonia móvel.

Segundo o delegado, o horário preferido desse tipo de criminoso para atuar é a madrugada, quando é mais difícil das empresas prestadoras do serviço realizar a fiscalização. Os criminosos sobem nos postes de energia elétrica, usam alicates de corte e cortam os cabos. Depois disso, queimam o plástico que envolve os cabos e retiram os fios de cobre para revender. Dependendo da quantidade de cobre retirada, segundo o delegado, os criminosos recebem de R$ 300 a R$ 500 dos receptadores.

Ainda de acordo com Félix, Antônio foi preso em 14 de dezembro de 2017 pelo mesmo crime. Odileno, segundo o delegado, já foi preso cinco vezes pelo mesmo tipo de crime. Antônio e Odileno foram autuados em flagrante por furto qualificado e serão encaminhados a Audiências de Custódia.

Além do dano às empresas prestadoras dos serviços, cada furto causa desabastecimento de até mil pessoas, segundo avaliação do titular da Derfd. O delegado mencionou que as investigações seguem para identificar os receptadores que compram os fios de cobre retirados dos cabos pelos criminosos. “Há empresários comprando esses fios. Se não fossem eles, não haveria os furtos”, disse Adriano.

Anúncio