‘Meu Deus, me perdoa’, diz aos prantos homem que matou mulher grávida sem justificativa

Robson Nascimento da Silva, 24, foi preso suspeito de matar, com um tiro no peito, a companheira, Jociquele Araújo Pereira, que tinha 28 anos e estava grávida de, pelo menos, dois meses

Manaus – A Polícia Civil apresentou, na manhã desta sexta-feira (12), a prisão do ajudante de pedreiro Robson Nascimento da Silva, 24, preso suspeito de matar, com um tiro no peito, a companheira, Jociquele Araújo Pereira, que tinha 28 anos e estava grávida de, pelo menos, dois meses. Conforme a Polícia Civil, o crime aconteceu, na noite de quarta-feira (10), na casa onde o casal morava, na Comunidade Acara, bairro Lago Azul, zona norte de Manaus.

Robson foi autuado em flagrante por feminicídio. (Foto: Sandro Pereira/RDC)

De acordo com o delegado Bruno Fraga, titular do 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a prisão aconteceu, na manhã de quinta-feira (11), em uma casa na Comunidade Mundo Novo, bairro Cidade Nova, também na zona norte de Manaus, após os policiais da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) receberem uma denúncia realizada à Polícia Militar pelo 190.

Após o crime, Robson fugiu para uma casa na comunidade. Depois de ser capturado, o ajudante de pedreiro apresentou, aos policiais civis, versões desconexas para a motivação do crime. Robson disse que discutiu com Jociquele.

Ainda na versão do ajudante de pedreiro, a mulher saiu do banheiro e empurrou a porta na direção dele. Em seguida, conforme o depoimento, Robson disparou o revólver de calibre 38, acidentalmente, contra a companheira.
Aos policiais, segundo o delegado, o homem não soube explicar o porquê de estar portando o revólver de calibre 38.

O delegado classificou o assassinato como um “crime bárbaro”. “Não levou em consideração (a gravidez). Um crime bárbaro, atroz e sem justificativa alguma”, afirmou Fraga.

Depois do disparo, segundo o delegado, Robson se desfez do armamento que ainda não foi localizado pelos policiais. Ainda segundo Fraga, existe um histórico de agressão entre Jociquele e Robson relatada tantos por parentes dele como por parentes da mulher e vizinhos do casal.

Durante entrevista coletiva à imprensa, Robson afirmou que não quis matar a companheira. “Eu até ajudei a colocar ela no carro que a levou ao hospital. Ô meu Deus, me perdoa; me perdoe, minha sogra. Eu não queria matar sua filha não”, disse, aos prantos, olhando para as câmeras dos cinegrafistas e fotógrafos apontadas para ele na Delegacia Geral, zona oeste da capital.

Robson foi autuado em flagrante por feminicídio. Ele será levado à Audiência de Custódia, no Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, zona sul.

Anúncio