Policiais são presos suspeitos de extorsão contra garimpeiros, no AM

Os PMs estavam utilizando lanchas da corporação

Manaus – Policiais militares foram presos na noite do último sábado (9) no município de Maraã (a 634 quilômetros a noroeste de Manaus), interior do Amazonas. Os PMs são suspeitos de extorquir garimpeiros no Rio Purué, afluente do Japurá, utilizando lanchas da corporação.

Segundo a Polícia Militar do município, a corporação foi informada sobre duas lanchas com o símbolo da Secretaria de Segurança Pública, sendo que uma estaria em pane mecânica. Os policiais são lotados no município de Tefé, então a polícia de Maraã entrou em contato com a equipe de Tefé.

Foi então descoberto que PMs não estavam de serviço e estavam indo extorquir ouro dos garimpeiros no garimpo Puré. Também foi informado que a situação já havia ocorrido outras vezes.

Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas informou que foi aberto um processo administrativo disciplinar para investigar a conduta dos policiais, que ficarão afastados das funções e à disposição da justiça até o fim das investigações.

Garimpo Urbano

Em junho de 2021, foi deflagrada a operação Garimpo Urbano, que resultou a prisão do ex-titular da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), Samir Freire, e policiais civis.  A operação coibiu a ação de agentes públicos ligados a órgão de cúpula da Segurança Pública do Estado do Amazonas, supostamente envolvidos na subtração de ouro, mediante graves ameaças dirigidas aos transportadores do referido metal. Apura-se o monitoramento e abordagem das vítimas mediante uso de estrutura, pessoal e de expertise da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (SEAI).

Leia a nota

“O Governo do Amazonas informa que foi aberto pela Corregedoria-Geral do Sistema de Pública, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), em conjunto com a Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) procedimento administrativo disciplinar para investigar a conduta dos policiais em questão, que ficarão afastados das suas funções até o encerramento das investigações e à disposição da justiça. O Governo do Amazonas reforça que não compactua com quaisquer desvios de conduta de policiais e demais servidores, seja do Sistema de Segurança Pública ou qualquer outro órgão estadual, tendo o dever legal de apurar o fato. Por fim, a SSP-AM ressalta que Corregedoria-Geral está à disposição da sociedade amazonense para receber as denúncias que envolvam servidores do sistema.”

 

Anúncio