Preso por executar mãe e filho em Manaus diz que vítimas eram X-9

O homem disse que foi dedurado pela mulher e estava sendo enrolado pelo filho dela em uma compra de armas

Manaus – Carlos Alberson Pereira do Nascimento, 37, preso por participação na execução de Cynthia Lisboa Avelino Holanda, 65, e Luiz Carlos Avelino Holanda, 43, mãe e filho, confessou o crime e disse que a mulher era X-9 e cagueta. Além disso, ele informou que estava sendo enrolado pelo homem em uma compra de armas de fogo.

(Foto: Divulgação)

De acordo com a delegada Marília Campello, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Carlos foi à casa das vítimas no bairro Lago Azul, zona norte, para cometer um triplo homícidio no útlimo domingo (7). Ele tinha a intenção de matar Cynthia, Luiz e o neto da mulher que não teve o nome revelado.

“Ele alega que matou essas vítimas porque elas eram envolvidas com o tráfico de drogas. Ele foi ao local para matar a mãe, o filho e o neto que não estava no local. Ele diz que essa senhora que ele matou teria dedurado ele à Polícia Militar que fez uma abordagem contra ele”, disse a delegada.

A adjunta da DEHS também explicou que, segundo Carlos, ele teria feito uma compra de três armas de fogo com Luiz e recebeu apenas uma sendo enrolado pela vítima. Ainda de acordo com Carlos, ele mataria o neto de Cynthia porque ele vende drogas no bairro. A polícia explicou que não há informações de envolvimento das vítimas em crimes, mas isso não descarta uma possível participação.

Durante o depoimento, Carlos informou que cometeu o crime sozinho. Ele disse que estava caminhando armado pelo local quando avistou Cynthia na porta da casa rindo na sua direção. Em seguida, decidiu entrar na casa e executar as vítimas. Ele já responde a cinco processos no estado do Pará.

Carlos Alberson vai responder por duplo homicídio consumado qualificado e a arma usada no crime também foi apreendida. O neto da vítima já foi localizado e será ouvido formalmente. As investigações da polícia continuam e outras testemunhas também serão ouvidas.

“Como nós sabemos, nesse crime existe um comparsa ou um mandante do tráfico de drogas daquele local que tenha autorizado essa execução. As investigações continuam para que nós possamos chegar aos co-autores”, disse a delegada.

Veja vídeo da arma do crime:

Anúncio