Trio que invadiu aniversário de lutadora morta a tiros é preso com fuzil falso

Patrícia da Cunha Leite comemorava seus 26 anos, junto com a família, quando os criminosos invadiram a casa. Um deles perguntou pela lutadora de jiu-jítsu, que foi reconhecida e baleada

Manaus – Os três homens presos nesse domingo (27) suspeitos de invadirem a festa de aniversário da lutadora de  jiu-jítsu Patrícia da Cunha Leite, que completava 26 anos, estavam com um fuzil falso, segundo a polícia. No momento da ação dos criminosos, dentro da casa onde era realizada a festa, um deles perguntou por Patrícia, que foi reconhecida e baleada. Ela morreu no hospital.

O fuzil falso foi apreendido com o trio preso por participação no assalto que resultou na morte da lutadora Patrícia da Cunha Leite (Foto: Reprodução/PM)

De acordo com a polícia, os três homens presos são: Carlos Abraão Rodrigues Farias, 19, Eduardo de Alencar Navegante, 22, e Ronaldo Borges Silva, 32. A polícia informou que o grupo roubou o veículo de um motorista de aplicativo na noite de sábado (24) e fez um assalto a uma casa na Rua Beatriz Portinari, conjunto Japiinlândia, bairro Japiim, zona sul de Manaus.

Lei também: Lutadora de jiu-jítsu morre em hospital após ser alvo de tiros no aniversário 

Patrícia da Cunha Leite, que estava comemorando seus 26 anos no local, foi baleada e morreu no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, no fim da tarde desse domingo.

Conforme informações do 1° Distrito Integrado de Polícia Civil (DIP), onde o caso foi registrado, um outro homem que teria participado do crime conseguiu fugir levando, supostamente, a arma usada no assassinato.

Presos pela Polícia Militar na madrugada de domingo, os três homens prestaram depoimento relatando o caso, e atribuindo ao comparsa foragido a autoria do crime. Com eles, foram encontrados diversos aparelhos celulares, um veículo roubado e um simulacro de fuzil. Ronaldo já responde a processo por um homicídio praticado em 2009.

Policiais militares 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) fizeram a abordagem dos suspeitos na Avenida Tefé, após receberem a notícia de que um grupo em carro semelhante estava fazendo roubos em bairros da zona sul e que estaria envolvido na ocorrência do Japiim.

Conforme informações de testemunhas repassadas aos PMs, o grupo chegou à residência de forma violenta, começou a subtrair objetos dos presentes e perguntou por Patrícia. Um dos infratores a teria reconhecido e feito os disparos. Não foram encontrados registros policiais contra a jovem no Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP).

O trio será indiciado por homicídio, roubo majorado, cárcere privado e organização criminosa. Eles serão encaminhados para audiência de custódia nesta segunda-feira (28).

 

Anúncio