VÍDEOS: paraenses se revoltam ao ver suspeito de matar grávida no AM

Gil Romero Machado Batista, 41, realizou o exame de corpo de delito na manhã desta quarta-feira (9)

Pará- Gil Romero Machado Batista, 41, realizou o exame de corpo de delito na manhã desta quarta-feira (9), em um hospital do estado do Pará. O suspeito de matar a jovem  Débora da Silva Alves, que tinha 18 anos e estava grávida de oito meses, foi preso na noite desta terça-feira (8), no Distrito de Apolinário, Comunidade rural de Curuá, Baixo e Médio Amazonas, no oeste do Pará.

(Foto: Divulgação)

Vídeos compartilhados por testemunhas, mostram o momento em que Gil Romero sai do hospital onde realizou o exame de corpo de delito  no estado do Pará.

Em um dos vídeos, pessoas gritam ‘desgraçado vai pagar’, em forma de protesto pela morte da jovem que foi brutalmente assassinada na madrugada do dia 30 de julho.

De acordo com o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia de Homicídios e Sequestro (DEHS), no momento, as Polícias Civis e o Poder Judiciário estão em tratativa burocrática para realizar o recambiamento do indivíduo para Manaus.

Veja vídeos: 

Entenda o caso:

Conforme o delegado Ricardo Cunha, titular da unidade especializada, a vítima desapareceu no dia 29 de julho deste ano, quando saiu de sua residência para encontrar o infrator, que seria o pai do bebê.

“Ele recusava, veementemente, a paternidade. No início da gravidez, ele ofereceu medicamentos abortivos à Débora e, em junho deste ano, tentou contra a vida dela pela primeira vez. Desta vez, a vítima se defendeu com uma faca, sobrevivendo ao ataque. No dia do crime, a jovem saiu para encontrar Gil Romero, com quem pegaria o dinheiro para comprar o berço do bebê, entretanto, não retornou para casa em seguida”, disse o delegado Ricardo Cunha.

O corpo da jovem foi encontrado na quinta-feira (3), por uma equipe da DEHS, em uma área de mata no Mauazinho, zona leste, após um dos envolvidos na ação criminosa indicar onde o cadáver estaria.

Vítima foi encontrada enterrada em uma cova, com os pés cortados e parte do corpo queimado. Um pano foi encontrado enrolado no pescoço da mulher. A PC/AM, disse que a vítima foi assassinada com bastante crueldade.

José Nilson Azevedo da Silva, conhecido como ‘Nego’ foi preso na semana passada, acusado de participar do crime e ajudar Romero a enterrar o corpo da vítima.

Após a prisão de ‘Nego’ a polícia deu detalhes sobre o crime. Segundo as informações, a jovem teria ido ao encontro do assassino para pegar o dinheiro e comprar o berço para o seu bebê.

“A vítima se encontrou com uma pessoa e informou para essa pessoa que estava aguardando o pai da sua filha para receber o dinheiro de um berço, após isso, ela não foi mais vista, após o trabalho de investigação, confirmamos que Romero, o pai da criança, tinha envolvimento no crime”, disse o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Sobre a participação de José Nilson no crime, a polícia relatou que ‘Nego’ era empregado de Romero e que o suspeito afirma que não matou Débora apenas participou da ocultação de seu cadáver.

“O Nego é empregado do Romero e foi chamado por ele para cometer o crime, segundo relatado pelo suspeito, a moça já estava morta quando ele encontrou ela no carro. O acusado afirma que foi obrigado a ocultar o cadáver com Romero”, disse a delegada Débora Barreiros, sobre a participação de Nego.

 

Anúncio