A CPI da Saúde mostra para toda a sociedade o lado oculto da corrupção’, diz Delegado Péricles

Durante discurso na ALE, deputado criticou políticos que, segundo ele, já tiveram oportunidade de combater a corrupção na Saúde do Estado, seja durante gestão ou como fiscalizadores em outras CPIs, e não o fizeram

Manaus – O deputado estadual Delegado Péricles (PSL) rechaçou, durante discurso na manhã desta quinta-feira (30), qualquer tentativa de tornar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde em palanque político e, criticou, ainda, políticos que, segundo ele, já tiveram oportunidade de combater a corrupção na Saúde do Estado, seja durante gestão ou como fiscalizadores em outras CPIs, e não o fizeram.

“O que me causa estranheza é que algumas pessoas, que na oportunidade que tiveram, de fazer algum trabalho de investigação não o fizeram, e agora querem dar ‘pitaco’ e dizer como a CPI tem que fazer ou quem ela tem que ouvir. A CPI não servirá de palanque político para nenhum candidato, para nenhum político. Isso quero deixar bem claro para todos vocês”, afirmou.

Deputado rechaçou qualquer tentativa de tornar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde em palanque político (Foto: Divulgação/Ascom)

Para Péricles, a CPI tem causado incômodo por ter realizado trabalho técnico e com transparência no andamento dos trabalhos e divulgação dos resultados suficiente para receber a aprovação de toda a população.

“A CPI da Saúde mostra para toda a sociedade o lado oculto da corrupção. Ela tem apresentado o passo a passo de como é realizado esquemas fraudulentos para desvio de dinheiro público. É por isso que a população do Amazonas vem acompanhando e aprovando o trabalho da CPI”, continuou o parlamentar.

Ainda durante discurso, o deputado reforçou caso que envolve a Norte Serviços, empresa prestadora de serviços de lavanderia para o Hospital de Campanha da Nilton Lins durante combate ao coronavírus e teve ofertas de exames em 2017 superfaturados, e afirmou que ela tem atuado da mesma forma ilegal em muitas gestões.

“Essa mesma empresa tem feito esquemas de corrupção por vários governos – 2016, 2017, 2018, 2019, ou seja, continua no atual governo. É isso que a CPI tem identificado. Atualmente ele segue com processos indenizatórios, que o atual governo não teve a capacidade de impedir esse esquema fraudulento. “, criticou.

O deputado estadual disse que semana passada foi apresentado mais um esquema fraudulento de uma empresa que realizou exames superfaturados no interior do Amazonas. Por isso estamos chamando todos os diretamente envolvidos nesta prestação de serviços. Estamos chamando ex-secretário executivo, gerente de compras e até mesmo o médico que fez os atendimentos. Caso, posteriormente, apareça outra pessoa – seja ex-governador ou ex-secretário de saúde – relacionada a esse caso ou qualquer outro de corrupção, eles certamente serão chamados”, concluiu.