‘Absurdo’, diz defesa de Bolsonaro sobre multa por críticas às urnas

De acordo com o MPE, Bolsonaro realizou propaganda eleitoral antecipada

Brasília – A defesa do presidente Jair Bolsonaro (PL) se manifestou sobre a multa solicitada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) pelos ataques do presidente contra as úrnas eletrônicas e o sistema eleitoral brasileiro e chamou de “verdadeiro absurdo” o pedido. As críticas do presidente foram feitas durante encontro dele com representes de países, no dia 18 de julho, no Palácio da Alvorada.

(Foto: Allan Santos/PR)

De acordo com o MPE, Bolsonaro estaria realizando propaganda eleitoral antecipada, ao induzir eleitores a votar nele e não em outros candidatos. A multa defendida pelo órgão varia de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

“Acatar quaisquer dos pedidos contidos equivalerá a uma afirmação, por esse Tribunal, de que a mera possibilidade de levantar discussões sobre os aspectos que permeiam o sufrágio eleitoral é um dogma insuscetível de qualquer discussão e aprimoramento, o que configuraria verdadeiro absurdo”, diz trecho da defesa de Bolsonaro.

A defesa pede ainda que as críticas do presidente sejam interpretadas como “aprimoramentos”.

“O presidente da República, como ator político, entende que ainda cabem outros aprimoramentos, em especial de transparência e de facilitação de possíveis auditorias ao resultado do pleito eleitoral. Isso em nada encerra raciocínio contrário à democracia, mas sim de fortalecimento ao Estado Democrático de Direito”.

Anúncio