ALE aprova título de cidadão amazonense a presidente Bolsonaro

O projeto de lei, de autoria do deputado estadual Delegado Péricles, foi aprovado na manhã desta terça-feira (20)

Manaus – O deputado estadual Delegado Péricles teve aprovado em plenário, na manhã desta terça-feira (20), Projeto de Lei de sua autoria que concede o Título de Cidadão ao Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. De acordo com o parlamentar, o Governo Federal tem atuado não só para aprimoramento da capital amazonense, mas para auxílio de estruturação de todo o interior, principalmente no que diz respeito à coordenação de ações em âmbito estadual que foram decisivas pra tomada de ações que minimizaram situações vivenciadas pela população nos últimos anos.

“Os repasses que o Governo Federal têm feito aos municípios do interior e capital são inquestionáveis. Podem ser afirmados por qualquer prefeito ou pelo próprio governador. Outras iniciativas, como a concessão de aeroportos e a implementação que vai desde escolas cívico militares até o Centro de Inteligência de Segurança Pública, e, ainda, a tomada de frente para a organização e coordenação diante do caos de gestão que vivemos no início do ano, somam-se ao trabalho realizado sob a gestão do presidente Jair Bolsonaro que merecem ser reforçadas”, afirmou.

Deputado Delegado Péricles, autor do projeito de lei ( Foto: Divulgação)

Péricles ressaltou a quantidade de vacinas já recebidas pela gestão federal para o Estado até então – 1.414.620 doses – e, ainda, destacou o trabalho direcionado para concretização da BR-319 e o aumento do faturamento do Polo Industrial de Manaus.

“O Estado tem continuamente recebido vacinas para a população, além de ver passos efetivos sendo tomados para que nossa BR seja concluída. A recuperação do Lote C está autorizada, outros avanço significativos virão. O faturamento do Polo Industrial saltou de R$79,2 bilhões em 2015 para R$119,68bi em 2020. O movimento positivo do governo federal precisa ser reconhecido. O presidente Jair Bolsonaro merece esse reconhecimento”, concluiu.